ANEMIA: ASPECTOS SOCIAIS E EDUCACIONAIS

Apresentação
A anemia é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como “um estado em que a concentração de hemoglobina do sangue é anormalmente baixa em consequência da carência de um ou mais nutrientes essenciais, qualquer que seja a origem dessa carência”. Anemia ferropriva é uma das anemias mais comum no Brasil e no mundo. A principal causa da anemia ferropriva é a deficiência de ferro, consequência da ingestão insuficiente do mesmo em relação às necessidades, ou à perda sanguínea crônica. Os principais sintomas são: desânimos, cansaço, palpitação, palidez, desmaios e falta de concentração para o aprendizado. Essa anemia ocorre muito nas crianças e jovens que não se alimentam direito, muitas vezes associadas às perdas de sangue na menstruação e verminoses. Ocorre também nas gestantes porque necessitam de muitos alimentos ricos em ferro, para transferir para o feto e nos idosos devido a má alimentação ou perda de sangue oculta nas fezes.

Introdução
A anemia é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como “um estado em que a concentração de hemoglobina do sangue é anormalmente baixa em consequência da carência de um ou mais nutrientes essenciais, qualquer que seja a origem dessa carência”. Já a anemia por deficiência de ferro resulta de longo período de balanço negativo entre a quantidade de ferro biologicamente disponível e a necessidade orgânica desse oligoelemento (ACCIOLY, et al., 2002, JORDÃO; BERNARDI; BARROS FILHO, 2009). A anemia por deficiência de ferro é a mais comum das carências nutricionais, com maior prevalência em mulheres e crianças, principalmente nos países em desenvolvimento. Considerada um sério problema de Saúde Pública, a anemia pode prejudicar o desenvolvimento mental e psicomotor, causar aumento da morbimortalidade materna e infantil, além da queda no desempenho do indivíduo no trabalho e redução da resistência às infecções (ALLEN, 2007). O aumento da prevalência da anemia ferropriva em crianças pode ser decorrente das mudanças nos hábitos alimentares, que acompanham a transição nutricional no país. No Brasil, a tendência do aumento da anemia em pré-escolares foi evidenciada por dois estudos nos quais a prevalência da doença passou de 35,6% na década de 1980, para 46,9% na década de 1990, no município de São Paulo de 19,3% para 36,4%, na Paraíba (JORDÃO; BERNARDI; BARROS FILHO, 2009). A deficiência de ferro tem impacto sobre a resposta imune, o desenvolvimento cognitivo de crianças e a capacidade de trabalho de adultos O combate e a prevenção da deficiência de ferro é uma das prioridades na promoção da saúde. As estratégias usadas para se alcançar este objetivo incluem a avaliação e correção da deficiência de ferro em gestantes, a estimulação ao aleitamento materno, a realização de profilaxia com sulfato ferroso oral em prematuros e recém-nascidos de baixo peso, o enriquecimento de alimentos e o envolvimento da comunidade. O Ministério da Saúde tornou obrigatória a fortificação das farinhas de milho e trigo com ferro e ácido fólico, por serem alimentos de fácil acesso a população e não terem alterações de suas características organolépticas no processo de fortificação, além de ser economicamente viável ao país. A partir de 1998, foi implantado o Programa Nacional de Suplementação Medicamentosa de ferro aos grupos de risco (crianças de seis a 18 meses, gestantes e mulheres no pós-parto)(BASHIRI, et al. 2011). Os sais de ferro são indicados para profilaxia e tratamento das anemias por deficiência de ferro.

Objetivo Geral
O presente trabalho tem como objetivo geral identificar os portadores de anemia ferropriva, visando interferir na redução desta patologia no Brasil.

Objetivos Específicos
Conscientizar os participantes sobre o que é anemia, a consequência, prevenção e a importância do diagnóstico precoce da mesma. Colocar o aluno em contato com a população afim de desenvolver a capacidade crítica e reflexiva para as questões surgidas na sociedade, bem como o cultivo da atitude de respeito às outras pessoas.

Justificativa
A anemia ferropriva é a carência nutricional mais prevalente no mundo, acarretando prejuízos a curto e longo prazo no desenvolvimento neuro psicomotor e na aprendizagem, além de comprometimento na resposta do sistema imunológico. Os sinais e os sintomas mais frequentemente observados são inespecíficos, como anorexia, palidez, perversão do apetite, geofagia, apatia, adinamia, irritabilidade, cansaço, fraqueza muscular e dificuldade na realização de atividade física. O diagnóstico do estado anêmico é realizado principalmente por meio de exames laboratoriais. Assim, este estudo justifica-se, pois a população a ser estudada está entre as de maior prevalência da mesma.

Beneficiário
Atiradores do tiro de Guerra de Alfenas-MG.