MATEMÁTICA E CIDADANIA

Apresentação
O Programa Lar-Escola Zita Engel Ayer - CAZITA, foi fundado no ano de 1996, com a missão de promover o desenvolvimento humano, através da formação da criança e do adolescente em situação de vulnerabilidade social, oferecendo atividades no contraturno escolar. O Programa atende atualmente cerca de cem crianças e adolescentes oriundos de famílias de baixa renda, com dificuldades de integração social e baixo desempenho escolar. A inclusão dos participantes é feita por meio de encaminhamentos feitos pelo Ministério Público, através do Juizado da Infância e Adolescência, pela Secretaria de Ação Social de Alfenas e pela procura direta das famílias. As atividades acontecem nas dependências do Serviço de Assistência e Recuperação do Adulto e da Infância - Sarai, localizado no centro de Alfenas-MG. Este Projeto de Extensão vem propor ações que mostrem o quanto a Matemática é importante no dia-a-dia e que a desmistifique como uma disciplina difícil de ser aprendida.

Introdução
A Matemática desempenha um papel fundamental na vida das pessoas, é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência do homem e da sociedade. Ela nos permite resolver vários problemas da vida cotidiana. Por exemplo, quando queremos fazer uma determinada compra, precisamos decidir a melhor forma de pagamento: à prazo ou à vista? Ela nos ajuda a decidir qual o melhor investimento financeiro para poupar nosso dinheiro. A dona de casa ao executar uma receita de bolo, precisa efetuar diversos tipos de medidas para obter a quantidade exata de farinha, de leite, do tempo necessário para assar o bolo. A Matemática está presente nas formas dos objetos que nos cercam, nas construções, na natureza ditando formas e padrões. Os noticiários fazem uso da linguagem Matemática ao utilizarem gráficos, tabelas, ao se referirem a taxas de financiamento, taxas de inflação, pesquisas eleitorais. Todas essas considerações, segundo Ubiratan D’Ambrósio, "nos conduz a atribuir à Matemática o caráter de uma atividade inerente ao saber humano, praticada com plena espontaneidade, resultante de seu ambiente sociocultural e consequentemente determinada pela atividade material na qual o indivíduo está inserido". Nesta mesma linha de pensamento, os Parâmetros Curriculares Nacionais para a área de Matemática, afirmam, entre os seus princípios, que “a Matemática é componente importante na construção da cidadania, na medida em que a sociedade se utiliza, cada vez mais, de conhecimentos científicos e recursos tecnológicos, dos quais os cidadãos devem se apropriar.” Apesar de toda a importância que a Matemática exerce na vida das pessoas, é fato que os alunos, em geral, apresentam baixo nível de aprendizado em relação a essa disciplina, o que acaba acarretando vários problemas, como a evasão escolar, problemas com a auto estima, já que o aluno se sente incapaz de aprender Matemática, dificuldades na tomada de decisões já que para isso é importante saber interpretar o mundo ao seu redor, dificuldades em lidar com as novas tecnologias e as novas linguagens que as acompanham. Este Projeto de Extensão, se propõe a trazer intervenções de caráter lúdico, com vistas a promover a facilitação do aprendizado da Matemática para as crianças e adolescentes atendidos pelo Cazita. Segundo documento emitido pelo Fórum de Pró-Reitores das Universidades Públicas (FORPROEX) de maio de 2012, a ampliação da oferta e melhoria da qualidade da educação básica, a melhoria do atendimento à criança, ao adolescente e ao idoso, o enfrentamento da exclusão e vulnerabilidades sociais e o combate a todas as formas de desigualdade e discriminação, devem ser áreas prioritárias na articulação da Extensão Universitária com as políticas públicas e movimentos sociais. Este Projeto vem ao encontro dessas questões consideradas prioritárias e também vem atender a uma demanda da nossa comunidade.

Objetivo Geral
Contribuir para a formação cidadã dos alunos do CAZITA, desenvolvendo a forma de ver e pensar sob o enfoque matemático, fundamentando-se na aplicação de jogos didáticos pedagógicos, na problematização de questões do dia-a-dia que envolvam a Matemática, na obtenção, análise e interpretação de dados que promovam o desenvolvimento do senso crítico e a tomada de decisões.

Objetivos Específicos
Desenvolver o conhecimento matemático de forma a: - Contribuir para a construção de uma cidadania ativa, crítica e consciente; - Complementar os conteúdos matemáticos para um melhor desempenho na escola, contribuindo também para o acesso ao Ensino Médio e ao Ensino Superior; - Contribuir para uma melhor capacitação para o trabalho; - Estimular o raciocínio lógico dedutivo e aspectos cognitivos correlacionados; - Desmistificar a Matemática como uma matéria difícil de se aprender; - Mostrar como a Matemática aparece em tudo ao nosso redor, fazendo com que os alunos percebam o quanto ela é importante e útil; - Contribuir para a melhora da auto-estima, ao mostrar aos alunos que eles são capazes de aprender Matemática; - Promover uma melhor interação social através da aplicação de jogos didáticos, estimulando assim, a respeitabilidade e a generosidade; - Oportunizar ao acadêmico deste projeto, o contato direto com a comunidade e as diversas realidades sociais que a permeiam, contribuindo assim para a formação ética e cidadã desse indivíduo; - Possibilitar a interlocução entre a Educação Básica e o curso de Licenciatura em Matemática.- Oportunizar à Universidade cumprir o seu compromisso social ao oferecer à comunidade um retorno daquilo que dela recebe

Justificativa
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é um indicador do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira criado pelo Ministério da Educação no ano de 2007 no âmbito do Plano de Desenvolvimento da Educação, com o objetivo de medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino. O Ideb é medido a cada dois anos e avalia as habilidades em Língua Portuguesa e Matemática. Ele é apresentado em uma escala que vai de zero a dez e a meta do Governo Federal é que até o ano de 2022 a nota média da educação no Brasil seja igual ou superior a 6 a qual representa o resultado obtido pelos países que integram a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os dados divulgados pelo Ministério da Educação para o último Ideb realizado em 2017, revelam novamente, um estagnamento na qualidade do Ensino Médio no Brasil. Desde o ano de 2011 o indicador nacional estagnou em 3,7. Em 2017 ficou em 3,8, quase um ponto abaixo da meta que era 4,7. No Brasil, do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, o Ideb não atinge a meta desde 2013. Segundo Cybele Amado de Oliveira, pedagoga e presidente do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (Icep), os locais em que este Instituto atuou, propondo atividades no contraturno escolar, obtiveram os mais altos indicadores no estado da Bahia na avaliação de 2017. Esses dados revelam que é preciso criar mais intervenções a nível nacional, regional e local, que possam contribuir para a melhora do aprendizado, principalmente da Matemática. Já no âmbito extensionista, a política Nacional de Extensão Universitária propugna em conformidade com as orientações pactuadas no âmbito do FORPROEX, que a articulação da Extensão Universitária com as políticas públicas esteja orientada pelo compromisso com o enfrentamento da exclusão e vulnerabilidade sociais e combate a todas as formas de desigualdade e discriminação. Esse mesmo documento cita que dentre as áreas prioritárias na articulação da Extensão Universitária com as políticas públicas, estão a ampliação da oferta e melhoria da qualidade da Educação Básica e a melhoria do atendimento à criança, e ao adolescente. Assim, embasados nos dados oficiais sobre o ensino e aprendizagem da Matemática e nas politicas extensionistas, este projeto se justifica como um mecanismo que pode contribuir para a melhora do aprendizado de Matemática do seu público alvo. É fato que uma boa formação educacional do indivíduo funciona como um instrumento de efetivo combate à exclusão, à vulnerabilidade social, e à discriminação deste, já que o torna mais apto para o mercado de trabalho, fornece ferramentas que o ajuda a compreender e interpretar melhor o mundo à sua volta, repleto de informações veiculadas diariamente pelos meios de comunicação. Ao interpretar o mundo em que vive, esse indivíduo consegue interagir melhor com a sociedade tomar decisões mais conscientes, agir com segurança, além de exercer o direito à cidadania de forma mais plena. Alguns indicadores sugerem que a Matemática tem importância fundamental e até determinística na formação educacional dos indivíduos. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, são muitas as evidências que mostram que ela (a Matemática) funciona como filtro para selecionar alunos que concluem, ou não, o Ensino Fundamental, ou seja, a dificuldade na aprendizagem da Matemática, faz com que muitos alunos abandonem os estudos ainda no Ensino Fundamental, atitude esta, que pode fragilizar e comprometer suas competências para a vivência em sociedade e para o exercício pleno da cidadania. Assim, este Projeto, na proposta de contribuir para a melhoria do aprendizado de Matemática dos alunos assistidos pelo CAZITA, pode ajudá-los a levar adiante os seus estudos e a alcançar uma melhor formação, além de vir ao encontro da articulação da Extensão Universitária, com as políticas públicas ao contribuir para a melhoria da Educação Básica, para um melhor atendimento à criança em situação de vulnerabilidade social e para uma melhor qualificação para o mercado de trabalho. Pode também, propiciar ao acadêmico da UNIFAL-MG, que irá participar deste Projeto, a oportunidade de entrar em contato com uma realidade social que talvez desconheça, uma vez que o mesmo entrará em contato com crianças que enfrentam dificuldades diversas, de caráter afetivo, emocional, dificuldades financeiras, de relacionamento, de aprendizagem e que convivem com uma estrutura familiar fragilizada. Essa experiência pode contribuir para a formação cidadã desse acadêmico e para a ampliação de seu campo de visão para além dos "muros" da Universidade. Um dos acadêmicos participantes do projeto fez o seguinte relato: "O Projeto foi a primeira oportunidade de ter o contato com uma sala de aula como um professor, o que é muito importante para todo discente de licenciatura, pois dessa maneira pode-se identificar se é essa a profissão que se quer exercer, o que para mim foi confirma

Beneficiário
O público direto que será atendido pelo Projeto de Extensão "Matemática e Cidadania", é formado por alunos do quinto ao sexto ano do Ensino Fundamental, atendidos pelo Cazita no contraturno escolar. De forma indireta, esse Projeto também pretende beneficiar as famílias desses alunos.