GESTÃO FINANCEIRA EM FOCO: APLICAÇÃO AO COTIDIANO ORGANIZACIONAL E PESSOAL

Apresentação
O Programa se situa em um contexto de preocupação com a gestão financeira que se estende a dois pilares: organizacional e individual. Nesse sentido, visamos promover ações que possibilitem o intercâmbio de conhecimentos sobre a gestão financeira de forma a proporcionar o adequado planejamento e controle dos recursos financeiros. Para a ênfase com os pequenos negócios, a ideia será proporcionar o contato com os gestores em diversos segmentos, conhecendo suas dificuldades e limitações, no sentido de, a partir de treinamentos e de apoio direto à gestão financeira, contribuir com suas atividades. A atuação com os indivíduos focará atenção em promover a conscientizar dos alunos do ensino médio sobre a importância da gestão financeira pessoal, de forma que levem os conhecimentos adquiridos para o ambiente familiar. E, para complementar as ações, haverá um curso visando desenvolver habilidades de planilhas eletrônicas para organização e geração de informações para a gestão financeira.

Introdução
O presente Programa se situa em um contexto de preocupação com a gestão financeira em seu sentido amplo, entendendo-a como um "conjunto de ações e procedimentos administrativos que visam maximizar os resultados econômicos e financeiros" (SEBRAE). Nessa perspectiva, o olhar se estende à realidade das pequenas empresas e, também, atenta-se ao nível mais micro desse espectro: o indivíduo. Pensar a gestão financeira, diante da realidade de cada um destes atores, é fundamental para se produzir efeitos frutíferos no ambiente local. A gestão adequada dos recursos financeiros tem o potencial de aprimorar negócios de infinitas naturezas, assim como aproveitar oportunidades e garantir um futuro economicamente sustentável. Quando olhamos para a realidade das organizações, a gestão de suas finanças envolve elementos como "Contas à Pagar, Contas à Receber, Tesouraria, Caixas, Bancos, Fluxo de Caixa e Emissão e Controles de Cheques, Cartão de Crédito". A gestão pessoal, por sua vez, engloba tais elementos, todavia numa escala mais reduzida, porém de igual importância para a saúde financeira individual. Tendo em vista o cenário econômico brasileiro, segundo dados do SEBRAE, com base no ano de 2012, "Os pequenos negócios empresariais são formados pelas micro e pequenas empresas (MPE) e pelos microempreendedores individuais (MEI). No Brasil existem 6,4 milhões de estabelecimentos. Desse total, 99% são MPE, que respondem por 52% dos empregos com carteira assinada no setor privado (16,1 milhões). No Brasil existem 3,7 milhões de MEI (2013). No ano de 2011, às MPE contribuíram com 27% do Produto Interno Bruto do país". Todavia, apesar da importância para a realidade nacional, dados do SEBRAE São Paulo apontam que 27% dos pequenos negócios fecham suas portas antes de completar um ano devido a problemas financeiros (SEBRAE/SP, 2010). A referida pesquisa continua: "ao abrir a empresa, 39% dos empreendedores não sabiam qual era o capital de giro necessário para abertura, 31% não sabiam o investimento necessário para o negócio e 33% não tinham informações sobre fornecedores (SEBRAE/SP, 2010). Quando levamos em consideração a realidade financeira dos indivíduos e suas famílias, da “Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor”, levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (dados para janeiro de 2018), mostra que “o percentual de famílias que relataram ter dívidas alcançou 61,3%". Além disso, das famílias endividadas, “o tempo médio de atraso foi de 65,0 dias” e “a parcela média da renda comprometida com as dívidas é de 29,9%”. ““O cartão de crédito foi apontado como um dos principais tipos de dívida por 77,4% das famílias endividadas, seguido por carnês, para 16,9%, e, em terceiro, por financiamento de carro, para 11,0%”. Tais números evidenciam a importância de se olhar para a gestão financeira das pequenas empresas e dos indivíduos, foco principal deste programa.

Objetivo Geral
O objetivo geral do Programa é promover ações que possibilitem o intercâmbio de conhecimentos sobre a gestão financeira para pequenos negócios e a para as finanças pessoais, de forma a proporcionar o adequado planejamento e controle dos recursos financeiros.

Objetivos Específicos
Especificamente, pretende-se: (i) Proporcionar o contato com os gestores de pequenos negócios em diversos segmentos, conhecendo suas dificuldades e limitações, no sentido de, a partir de treinamentos e de apoio direto à gestão financeira, contribuir com suas atividades. (ii) Promover a conscientizar dos alunos do ensino médio sobre a importância da gestão financeira pessoal, de forma que levem os conhecimentos adquiridos para o ambiente familiar. (iii) Desenvolver habilidades para utilização de planilhas eletrônicas para organização e geração de informações para a gestão financeira seja pessoal ou de organizações.

Justificativa
O Programa se justifica pela importância de se compartilhar o conhecimento produzido na Universidade com os diversos setores componentes da sociedade que, neste caso, serão as pequenas empresas e os indivíduos e suas famílias. A UNIFAL-MG, Campus Varginha, oferece cursos de graduação que possuem em seu bojo unidades curriculares que dialogam diretamente com a gestão financeira. Alguns exemplos são: “Matemática Financeira”, “Finanças Corporativas”, “Mercado Financeiro”, “Introdução à Economia”, “Introdução à Contabilidade”, “Análise das Demonstrações Financeiras” e “Gestão de Custos”. Todo esse know-how pode ser compartilhado de forma mais próxima com a sociedade e, principalmente, quando observamos resultados de pesquisas que mostram que “o percentual de famílias que relataram ter dívidas alcançou 61,3%" e que “O cartão de crédito foi apontado como um dos principais tipos de dívida por 77,4% das famílias endividadas” (PEIC, 2018). E, também, que ao abrirem suas empresas, “39% dos empreendedores não sabiam qual era o capital de giro necessário para abertura, 31% não sabiam o investimento necessário para o negócio e 33% não tinham informações sobre fornecedores” o que provoca o fechamento de “27% dos pequenos negócios antes completar um ano devido a problemas financeiros (SEBRAE/SP, 2010). Além disso, as ações previstas no Programa irão proporcionar aos estudantes um contato mais próximo com a prática de gestão de negócios e com a realidade social das famílias locais.

Beneficiário
O beneficiário do Programa se subdivide em dois grupos: os pequenos negócios e os indivíduos, ambos residentes em Varginha-MG. Em especial sobre o público individual, pretende-se trabalhar com os estudantes de ensino médio, devido ao seu potencial multiplicador de informações aos familiares.