NOVAS MÍDIAS PARA A PRODUÇÃO E COMUNICAÇÃO DO CONHECIMENTO HISTÓRICO

Apresentação
O projeto foi concebido no início de 2015 como uma das ações iniciais, no âmbito da pesquisa científica e da elaboração de ações de extensão, do então recém-criado Grupo de Pesquisa da UNIFAL-MG “História do Brasil: memória, cultura e patrimônio”. Visando o aperfeiçoamento da formação dos discentes do curso de História-Licenciatura e sua interação dialógica com a comunidade escolar de Alfenas, foram desenvolvidas reflexões teóricas e ações práticas voltadas à elaboração de um acervo capaz de produzir e comunicar o conhecimento histórico desenvolvido no ambiente acadêmico para um público amplo que não apenas o da comunidade científica. Portanto, visamos dar continuidade a essas ações, que serão concebidas e desenvolvidas pelos docentes e discentes do curso e pela comunidade alfenense do Ensino Superior e da Educação Básica, e com docentes e discentes e outras Instituições de Ensino Superior do país. Visamos, outrossim, manter as conquistas que já realizamos entre 2015 e 2018.

Introdução
É uma realidade que a formação do historiador, no Brasil, esteja voltada quase que exclusivamente à formação de pesquisadores. Em artigo recente, Keila Grinberg chamou a atenção para o fato de que o valor atribuído pela CAPES às mídias resultantes de formas tradicionais de pesquisa com fontes primárias (como livros e artigos científicos), e a oposta desvalorização dos resultados de ações que visam a melhoria do ensino (como material didático, filmes, documentários, etc.) se reflete em um ambiente acadêmico que prepara os historiadores a atuarem apenas no restrito universo do Ensino Superior (GRINBERG, 2012). Também é do conhecimento da comunidade acadêmica que a produção do corpo docente de uma IES é um dos principais elementos considerados nas avaliações de curso feitas pelo MEC, e também uma exigência para as progressões funcionais nas carreiras do magistério no serviço público. E a desvalorização da produção de materiais de divulgação do conhecimento histórico para um público amplo gera duas deficiências no campo da História: de um lado, temos uma produção historiográfica destinada apenas para a comunidade acadêmica, ou seja, os livros e os artigos são redigidos visando apenas o restrito universo dos seus pares. Por outro lado, os cursos de História pouco desenvolvem ações que valorizam a formação de um historiador-docente, já que investir esforços nesse sentido não rende um índice de produção satisfatório às agências de fomento à pesquisa. Embora o exercício da pesquisa seja uma das pedras fundamentais do alicerce que sustenta o ofício do historiador, ela não é a única. Desenvolver estratégias para aprimorar a formação também de um historiador-docente é fundamental para a preparação de profissionais capazes de atuar na transformação e melhoria da nossa sociedade, tanto no âmbito da Educação quanto no campo político, social e cultural. Também é inquestionável a importância da produção de livros e artigos resultantes de pesquisas historiográficas, já que este é um caminho para a constante construção de novos olhares e concepções sobre a ação do homem no tempo e de sua atuação nas sociedades. No entanto, pelo menos no Brasil, está ficando a cargo de jornalistas e de literatos o papel de divulgar a um público amplo esse conhecimento histórico produzido nas universidades, o que, de certo modo, retira do historiador alguns dos seus papéis sociais, tais como o de auxiliar na construção de uma identidade coletiva e o de fomentar um senso crítico em relação ao meio em que vivemos. Justamente por isso, a proposta é manter o núcleo já formado que promove a integração entre pesquisa, ensino e extensão através de atividades voltadas ao desenvolvimento de diferentes mídias capazes de produzir e comunicar o conhecimento histórico produzido na universidade para um público amplo. Esperamos, assim, continuar promovendo a efetiva aproximação da comunidade acadêmica da comunidade escolar de Alfenas.

Objetivo Geral
Instrumentalizar os discentes dos cursos de História e os docentes dessa área, tanto da Educação Básica quanto do Ensino Superior, com repertório que permita a elaboração e comunicação do conhecimento histórico produzido pela universidade para um público amplo, através das mais variadas mídias.

Objetivos Específicos
• Refletir sobre as práticas de produção do conhecimento histórico no meio acadêmico brasileiro e internacional; • Identificar e/ou criar técnicas de uso de diferentes mídias capazes de promover a produção e a comunicação do conhecimento histórico produzido nas universidades à sociedade de um modo geral; • Trabalhar na manutenção do acervo de material didático de ensino de História já criado, ferramenta útil tanto para o desenvolvimento de novas estratégias para o ensino da História na nos mais diferentes níveis quanto para a ampla disseminação do conhecimento histórico produzido no meio acadêmico.

Justificativa
O projeto Novas mídias para a produção e comunicação do conhecimento histórico se justifica diante de duas demandas de setores da sociedade brasileira: por parte do público amplo, a de acessar o conhecimento histórico renovado nos últimos anos que se encontra restrito ao meio acadêmico; e por parte dos professores de História da Educação Básica e do Ensino Superior, a de fazer uso de novas mídias para, de um lado, divulgar e problematizar o conhecimento produzido pelas universidades e, de outro, tornar o ensino de História mais significativo para a geração de estudantes que anseia pela renovação da metodologia de ensino e da sua linguagem.

Beneficiário
Entre os beneficiários do projeto estão os discentes e os docentes do curso de História – Licenciatura da UNIFAL-MG; docentes e discentes da Educação Básica de Alfenas; a comunidade acadêmica de Alfenas e região; e a população em geral que acessa o acervo já produzido.