GRUPO PARA A PESSOA IDOSA: "VIVER BEM A NOVA IDADE"

Apresentação
O presente projeto propõe-se a realizar uma atividade sistematizada de educação alimentar e nutricional em Grupo, voltado para os idosos do município de Alfenas. A ação está articulada com dois Grupos de Pesquisas: "Bioquímica e Alimentação", sob liderança do Prof. Bruno Martins Dala Paula e do Grupo: "Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Coletiva", sob liderança da Profa. Tábatta Renata Pereira de Brito. As atividades serão realizadas na UNIFAL, envolvendo a equipe docente proponente e estudantes de cursos da área da saúde. Com este projeto, objetiva-se uma forte relação entre ensino-pesquisa-extensão e divulgação das ações e resultados encontrados em periódicos científicos da área. Trata-se de uma demanda da comunidade participante da ação no ano de 2018, até o momento não há o registro de outro grupo em funcionamento gerenciado por docentes da Faculdade de Nutrição (UNIFAL) com ações voltadas à educação alimentar e nutricional de idosos.

Introdução
O envelhecimento populacional, antes considerado um processo característico apenas dos países desenvolvidos, hoje é realidade em todo o mundo, devido à transição demográfica que os países em desenvolvimento estão presenciando. De forma distinta ao ocorrido nos países desenvolvidos, o envelhecimento populacional nos países em desenvolvimento, a exemplo do Brasil, está surpreendentemente acelerado (MARUCCI et al., 2013), colocando o país em uma situação de alerta, quanto ao adequado planejamento de intervenções e capacitação de profissionais da área da saúde, aptos a atuarem e atenderem com qualidade as crescentes demandas de serviços à pessoa idosa. Agregar qualidade aos anos de vida do ser humano é uma aspiração natural de qualquer sociedade, e conforme análise feita por CARMAGOS (2009), o Estatuto do idoso evoca a atuação de inúmeros profissionais não concorrentes e de importância fundamental a um sistema que atenda de forma integral a saúde da pessoa idosa. Dentre esses profissionais, manifesta-se o nutricionista, com potencial de contribuição quanto aos seus conhecimentos específicos de classe, quanto aos saberes comuns preconizados pelos profissionais da área da saúde. A atuação educativa dos profissionais da saúde, pode acontecer em diversos momentos durante sua prática profissional. As formas mais convencionais de intervenção da educação na saúde acontece nos atendimentos individuais, no entanto, o alcance dessas intervenções muitas vezes se limita ao usuário. Outra abordagem de educação em saúde, consiste de atividades em Grupos. O grupo é um espaço em que se desenvolve a escuta das necessidades dos usuários, dos seus problemas e vivências e onde profissionais e usuários buscam, em conjunto, soluções para os problemas identificados (BRASIL, 2014). No convívio com semelhantes nos grupos é possível ensinar e aprender por meio da troca de experiências, proporcionar a reflexão da realidade e assim, a mudança de comportamento desejada é facilitada (AFONSO, 2006; SOUZA, 2011). O grupo tem se mostrado uma prática adequada para atender a complexidade do envelhecimento e do viver com as condições das doenças crônicas não transmissíveis, quando essas estão presentes. Estudos têm relatado resultados promissores da educação em grupo de participantes com diabetes, como o fortalecimento das práticas de autocuidado, além de um espaço para manifestação dos aspectos psicossociais relacionados à condição, que são muitas vezes negligenciados nas práticas educativas (OLIVEIRA et al., 2011; FARIA et al., 2013). Um estudo randomizado, controlado e cruzado, realizado no Japão, avaliou a intervenção multifatorial referente à prática de atividade física de resistência, educação nutricional e programas psicossociais sob a fragilidade e saúde funcional de idosos, os autores concluíram que três meses de intervenção nas áreas citadas foram responsáveis pela redução da fragilidade e contribuíram com a melhoria da saúde funcional (SEINO et al., 2017).

Objetivo Geral
O presente projeto de extensão tem como objetivo manter o grupo de convivência para idosos: "Viver Bem a Nova Idade", iniciado no de 2018, na Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL), a fim de proporcionar atividades educativas e promotoras de saúde com foco na alimentação saudável e nutrição, momentos de lazer, socialização e de reflexão sobre a nova etapa da vida.

Objetivos Específicos
1. Articular as atividades de extensão com a pesquisa acadêmica, a partir do monitoramento dos hábitos alimentares, dados antropométricos (peso corpóreo, altura, perímetro do braço e dobra cutânea tricipital), questionários de aceitação das atividades e relatos pessoais em diferentes momentos da execução do projeto; 2. Formar um grupo de trabalho/estudo entre a equipe da ação a fim de proporcionar momentos de partilha de saberes e conhecimentos, contribuindo assim, com a formação humana, acadêmica e cidadã dos discentes envolvidos; 3. Registrar sistematicamente em forma de relatórios as atividades realizadas com os idosos, de forma a construir um material didático, com potencial de publicação sob a forma de livro ou apostila e com potencial de utilização em disciplinas optativas criadas em cima da temática e oferecidas dentro da grade curricular do Curso de Nutrição; 4. Apresentar de forma simples e clara, contando principalmente com a realização de atividades lúdicas e divertidas, os possíveis cuidados nutricionais com as DCNT detectadas nos participantes a fim de contribuir com o envelhecimento ativo e saudável.

Justificativa
A educação em saúde a partir de intervenções em grupo são práticas de baixo custo e com potencial para a melhoria da qualidade de vida de idosos. A referida metodologia tem sido utilizada na prática de trabalho de inúmeros profissionais do Sistema Único de Saúde, em especial, aqueles inseridos na rede de atenção básica de saúde. O presente projeto de extensão tem forte associação com o ensino e a pesquisa, sendo que a este último, proporcionaria traria contribuições à literatura científica que ainda carece de estudos avaliando o impacto das intervenções de educação em saúde, com idosos, sob a percepção do seu estado de saúde, hábitos alimentares, estado nutricional, assim como indicadores da saúde mental dos envolvidos. Ao projeto ainda proporcionaria subsídios para a elaboração e monitoramento de políticas públicas que busquem otimizar as condições de saúde do idoso. Os estudantes envolvidos com o projeto terão a oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos ao longo do curso, além de serem capacitados quanto ao planejamento e execução de atividades em grupos com idosos.

Beneficiário
Comunidade de pessoas idosas do município de Alfenas; estudantes dos cursos da área da saúde da Universidade Federal de Alfenas, em especial aqueles do curso de Nutrição; Equipe proponente envolvida com as ações.