NÓS DA NUTRIÇÃO: ENTRE O SABOR, O SABER E O FAZER

Apresentação
A ação atua junto às crianças e seus familiares, assistidas pela ONG “Serviço de Atenção e Recuperação do Adulto e da Infância” de Alfenas. Busca contribuir para a transformação da realidade estimulando o autocuidado para a saúde de forma integral. Os trabalhos são dirigidos para a reflexão das estratégias pedagógicas em saúde de forma que as experiências possam ser avaliadas, contextualizadas e reproduzidas na prática do profissional da saúde. A equipe é composta por acadêmicos de diferentes cursos da área da saúde da UNIFAL-MG. Paralelamente às atividades com as crianças, são realizadas reflexões relacionadas aos três eixos do projeto: o eixo SABOR discute o gosto para o fazer, temas pertinentes à saúde integral na perspectiva antropológica; no eixo SABER, busca a construção de referencial teórico a partir da experiência - a práxis; no eixo FAZER há discussões e registro das práticas no cotidiano, bem como, construindo material de apoio para atuação dos profissionais da saúde.

Introdução
O projeto “Nós da Nutrição” ocorre desde 2013 com perspectivas de refletir criticamente estratégias pedagógicas, de forma que as experiências possam ser avaliadas, contextualizadas e reproduzidas em diferentes áreas da saúde e na prática de Educação Alimentar e Nutricional (EAN). A partir de 2014 expandiu a atuação para agregar outros profissionais da saúde, conseguindo este processo a partir de 2015 com a atuação da odontologia e medicina além da Nutrição, objetivando a melhoria da atuação para transformação das realidades, e sensibilização para a qualidade de vida das crianças e seus familiares. Em 2016 agregou pessoal da farmácia. A proposta se constitui em três eixos, o SABOR (pensando nas motivações das escolhas alimentares e das diferentes práticas para a saúde); o SABER (visado buscar informação técnica para atuação do profissional enquanto educador, e para o participante a relevância da informação científica); e o FAZER (de forma a motivar efetivamente a prática na direção da saúde), em diferentes vertentes da saúde humana. O FAZER são realizadas atividades de educação para a saúde com crianças matriculadas na ONG, organizadas metodologicamente para possibilitar não somente as orientações no campo da ciência da saúde integral, mas viabilizar a troca de experiências e construção de conhecimento entre o saber técnico e o saber popular. Junto à ONG ocorrem outros projetos extensionistas da UNIFAL-MG e também da medicina da Unifenas, permitindo a integração dos grupos (interdisciplinaridade e multiprofissionalidade). O projeto de medicina da Unifenas atende as crianças que foram avaliadas por nossa equipe enquanto avaliação nutricional antropométrica e clínica, e que necessitam de exames e cuidados médicos. As crianças que precisam de cuidado odontológico são encaminhadas ao serviço de saúde odontológica municipal. Crianças que precisam de outros tipos de atendimentos específicos são encaminhadas ao PSF da região onde reside. Ao longo da interação entre estudantes, crianças e funcionários da ONG, são possíveis privilegiar uma abordagem que enfatiza as experiências e saberes contextualizados dos sujeitos envolvidos, constituindo um processo estimulador de mudanças individuais e coletivas. É pelo diálogo entre os sujeitos que se pressupõe a possibilidade de pensar os fatos e de perceber a realidade como processo (FREIRE, 1987). Esse diálogo implica em uma prática educativa em saúde compartilhada, ou seja, construída em conjunto. Ocorre troca de saberes e constrói conhecimento, por meio da reflexão crítica realizada pelos sujeitos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. Essa construção transforma as realidades, como diz Acioli (2008:119), “a realidade é, portanto, construída pelo sujeito que aprende”. Nessa premissa o pressuposto é de que os diversos saberes são apenas diferentes, e não precisam ser hierarquizados ou qualificados diferentemente. Como referencial teórico utilizamos Paulo Freire, que implicam na transformação das realidades.

Objetivo Geral
O objetivo geral da ação é desenvolver educação para a saúde a partir de práticas pedagógica ativas viáveis à crianças de 6 a 14 anos e seus familiares, dentro de realidades específicas, atuando de forma efetiva na sensibilização desses indivíduos e seus familiares para o autocuidado e a promoção da saúde.

Objetivos Específicos
1- Atuar com atividades de Educação para a saúde, em especial na nutrição, farmácia e odontologia, realizando também avaliação nutricional junto às crianças, e seus familiares, assistidas pela ONG Serviço de Atenção e Recuperação do Adulto e da Infância (SARAI) no setor CAZITA (Casa Zita Engel), percebendo a integração das ações para a saúde dos sujeitos; 2 - Capacitar os estudantes da equipe sobre a perspectiva da intervenção com ênfase no diálogo, por meio do método Freiriano, estabelecendo troca de saberes para proporcionar mudança das realidades entre todos os sujeitos envolvidos no processo educativo; 3 - Atualizar conhecimentos sobre a educação para a saúde e sobre práticas pedagógicas em saúde para autonomia dos sujeitos e escuta sensível; 4 - Estimular o protagonismo dos acadêmicos do projeto para sua participação ativa em de todas as etapas das atividades de Educação para a saúde; incluindo planejamento, seleção de métodos e técnicas, treinamento e execução de estratégias necessárias à prática educativa, bem como a reflexão de sua experiência e a produção de conhecimento junto à sociedade, sendo essa perspectiva percebida junto à crianças assistidas por uma ONG de Alfenas (MG).

Justificativa
A realidade brasileira apresenta muitas crianças em condições de vulnerabilidade social. Instituições filantrópicas de diversas origens estão atentas a esse problema e buscam atender minimamente as necessidades dessa população por meio de ações de assistência e intervenção objetivando melhorar essa realidade. A universidade, por meio de sua atuação extensionista possibilitando a indissociabilidade entre ensino-pesquisa e extensão pode atuar de forma colaborativa na resolução dessas lacunas apresentadas para a população no que tange seus direitos e cidadania. Colocar sua expertise a favor da população, interagir com as pessoas para descobrir melhores alternativas para resolução de problemas, produzir e reproduzir conhecimento proporcionando autonomia dos sujeitos envolvidos na relação dialógica, dentre outras ações é papel da universidade para transformação social. Em Alfenas são várias as ONGs que cuidam de crianças em vulnerabilidade social, dentre elas o SARAI que atende atualmente 100 crianças diariamente, sendo 50 no turno vespertino e 50 no matutino. Essa entidade conta com auxílio de projetos de extensão e com voluntários para realizar a tarefa educativa junto às crianças. Esses projetos são de diferentes ordens, desde ações de intervenção direta como no caso de acadêmicos de Nutrição, Odontologia, Farmácia e medicina que atendem individualmente e realizam momentos educativos coletivos, mas também projetos de arteeducação e práticas de artesanato, música, atividade física, dentre outras. Esses projetos estão vinculados à UNIFAL-MG ou a UNIFENAS. No que concerne o papel dessa proposta “Nós da Nutrição”, fazemos interação com outros projetos vinculados à ONG, quando é realizado o encaminhamento de crianças para atendimento odontológico ou médico a partir da avaliação nutricional realizada pelos acadêmicos de nutrição e de odontologia da UNIFAL-MG. Práticas de educação para a saúde nas temáticas da nutrição, da odontologia e outras na área da saúde de forma integrativa, são realizadas com as crianças em atividades coletivas e semestralmente ocorre ação junto aos familiares com o propósito de envolvimento familiar no cuidado com a saúde. A ação de extensão universitária em questão buscará aproximar os múltiplos componentes que envolvem a saúde, proporcionando atendimento específico aos problemas levantados, atendendo as várias demandas e fatores, condições socioeconômicas e culturais das pessoas envolvidas. Essa proposta de ação extensionista pretende gerar transformação da realidade social de todos os agentes em processo educativo, sejam as crianças e seus familiares, sejam os sujeitos da ONG, ou os acadêmicos da equipe executora. No que tange aos acadêmicos, possibilita construção e consolidação de conhecimentos e experiências profissionais relevantes à formação como cidadão e profissional. Para as crianças e seus familiares a atenção aborda temas a partir do diálogo, portanto, os temas são sistematizados a partir do público e da ONG.

Beneficiário
A ação beneficiará aproximadamente 100 crianças e seus familiares, totalizando aproximadamente 200 pessoas, e também serão consideramos beneficiários os acadêmicos e os profissionais da ONG envolvidos na equipe (8 alunos e 06 profissionais)