RENDIMENTO, GASTOS E CONSUMO CONSCIENTE: A EDUCAÇÃO FINANCEIRA COMO INDUTORA PARA A GESTÃO DAS FINANÇAS PESSOAIS

Apresentação
Este projeto de extensão visa levar conceitos básicos de finanças pessoais às famílias do município de Varginha-MG. O público-alvo serão os estudantes do ensino médio, de escolas públicas ou particulares, com idade entre 14 a 18 anos. A ideia de focar neste público advém do potencial multiplicador que possuem ao difundirem no ambiente familiar o conhecimento adquirido durante o processo de aprendizagem. Para a execução das atividades serão utilizadas planilhas como instrumento de organização e análise das finanças pessoais, bem como, informações relacionadas ao uso de cartão de crédito, cheques, manipulação de contas bancárias, possibilidades de investimento, taxas de juros e consumo consciente. Essa proposta se alinha à preocupação do Banco Central do Brasil (BACEN) que, por meio de uma cooperação técnica com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS), lançou, em 2017, uma campanha educativa para o uso consciente do cartão de crédito.

Introdução
O termo “Finanças Pessoais” pode ser entendido como a ciência de administrar as finanças próprias dos indivíduos, a partir da aplicação de uma série de princípios que vão auxiliar o processo de tomada de decisão. Segundo Halfeld (2004), a área de finanças pessoais trata da forma como um indivíduo ou família administram seus rendimentos. Diariamente, decisões financeiras são tomadas e estas terão impacto na vida pessoal dos indivíduos. Na administração financeira pessoal o controle de gastos, bem como o consumo consciente, é importante para evitar o endividamento, além de contribuir com a poupança para futuros investimentos. Para Macedo Júnior (2007), organizar as contas também mostra a real dimensão da saúde financeira e quais são seus hábitos de consumo, e possibilita que o indivíduo organize adequadamente. Nesse sentido, a educação financeira pode ser definida como a habilidade que os indivíduos apresentam de fazer escolhas adequadas ao administrar suas finanças pessoais durante o ciclo de sua vida (HILL, 2009). Podemos compreender a educação financeira de forma absoluta, isto é, a partir de um padrão de conhecimento que seja considerado importante para todos os consumidores, ou de maneira relativa, na qual os padrões variam conforme as habilidades, necessidades e experiências de cada indivíduo (AUGUSTINIS; COSTA; BARROS, 2012; ANDRADE; LUCENA, 2018). Neste contexto, o presente projeto visa levar conceitos básicos de finanças pessoais às famílias do município de Varginha-MG, por meio de atividades desenvolvidas com estudantes do ensino médio que, durante o processo de aprendizagem terão o potencial de difundi-lo para sua própria família, podendo assim contribuir para equacionar problemas financeiros no âmbito familiar. O projeto reveste-se de importância, pois possibilita colocar em prática os ensinamentos adquiridos no âmbito da Universidade, fazendo com que os graduandos tenham contato com a realidade socioeconômica do público alvo, sendo de grande valia para conhecimento dos problemas sociais e suas peculiaridades. Além disso, os graduandos envolvidos ganham experiência em oratória, o que contribuirá para o exercício de suas atividades profissionais futuras. Com relação ao aspecto social, a ideia de levar este conhecimento aos estudantes do ensino médio tem como objetivo orientar jovens que estão no início de suas vidas financeiras e, com isso, fazer com que compreendam melhor as finanças pessoais e propaguem tais aprendizados aos seus familiares. No que se refere à relação ensino, pesquisa e extensão, o entendimento é que nesse projeto haja a possibilidade de interação desses pilares, ou seja: ensino das ferramentas de gestão financeira; que estende esse conhecimento a partir de ações conjuntas à sociedade e, todo esse processo, subsidiará a construção de uma comunicação científica, que irá socializar à comunidade acadêmica o resultado dessa experiência de interação e intercâmbio de conhecimentos.

Objetivo Geral
O objetivo geral de projeto é promover a conscientizar dos alunos do ensino médio sobre a importância da gestão financeira pessoal, de forma que levem os conhecimentos adquiridos para o ambiente familiar. Adicionalmente, é finalidade dessa ação de extensão contribuir com o aprendizado do discente da UNIFAL-MG, principalmente, na sua capacidade de oratória.

Objetivos Específicos
Especificamente, pretende-se: (i) apresentar conceitos básicos de educação financeira; (ii) refletir sobre a importância do controle orçamentário pessoal e familiar; (ii) apresentar conhecimentos sobre uso de cartão de crédito, cheques, manipulação de contas bancárias, possibilidades de investimento, taxas de juros e consumo consciente; e (iv) divulgar a UNIFAL­MG junto aos alunos do ensino médio que serão beneficiados com esse projeto.

Justificativa
Destaca-se os resultados da “Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor” (Peic), levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores. Para as informações relativas a janeiro de 2018, “o percentual de famílias que relataram ter dívidas entre cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro alcançou 61,3%”. Além disso, destas famílias endividadas, “o tempo médio de atraso foi de 65,0 dias” e “a parcela média da renda comprometida com as dívidas é de 29,9%”. Interessante destacar que “22,2% das famílias afirmaram ter mais da metade de sua renda mensal comprometida com pagamento de dívidas”. “O cartão de crédito foi apontado como um dos principais tipos de dívida por 77,4% das famílias endividadas, seguido por carnês, para 16,9%, e, em terceiro, por financiamento de carro, para 11,0%”. Esses números reforçam e justificam a importância de se levar os conceitos básicos de finanças pessoais aos estudantes de ensino médio e suas famílias. Esta ação tem o potencial de difundir boas práticas, evitando a inadimplência e contribuindo para o uso racional e consciente dos instrumentos financeiros disponíveis aos indivíduos e suas famílias.

Beneficiário
Com essa ação busca-se conscientizar os jovens sobre a importância da gestão de suas finanças por meio da apresentação de conceitos básicos de educação financeira. Além disso, vislumbra-se proporcionar um ambiente para que os graduandos possam se habituar a falar em público.