RE-CURSO ÁGUA

Apresentação
Debates em níveis globais têm tido como foco a vulnerabilidade da manutenção dos processos naturais de ciclagem da água. Esse recurso traduz por si só o sentido do que é essencial, uma vez que é qualidade inerente ao surgimento e existência da vida. O uso indiscriminado da água e a contaminação das reservas naturais exigem atitude na prevenção de uma situação grave de crise. Levar esse debate para dentro das instituições não se trata mais apenas de boas iniciativas, mas sim de uma necessidade. Melhor do que isso, implantar medidas reais que gerem economia institucional do consumo de água é motivação e exemplo para a comunidade universitária replicar tais ações e informações no seu lar e ambiente organizacional no futuro. Adicionalmente, em tempos de redução de gastos e em nível institucional, essas medidas podem ter benefícios financeiros bastante significativos, permitindo otimizar a gestão da verba pública.

Introdução
O valor da água enquanto recurso se apoia na sua essencialidade para existência de vida no planeta Terra. Debates acerca do assunto têm ganhado destaque na medida em que crises locais e globais começam a surgir, prejudicando as mais diversas atividades humanas (Tugoz; Bertolini; Brandalise, 2017). Os principais fatores que contribuem para redução gradativa da disponibilidade e da qualidade dos recursos hídricos são o uso irracional e a poluição ambiental (Nascimento; Fernandes; Yoshino, 2016). Segundo o Relatório Mundial das Nações Unidas para o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2015, a água é elemento central do desenvolvimento sustentável. Sua gestão futura será aspecto determinante em projetos de urbanização, desenvolvimento industrial e crescimento econômico sustentáveis, erradicação da pobreza, promoção da segurança alimentar e energética, resposta aos novos padrões de consumo e conservação de ecossistemas ameaçados (UNESCO, 2015). A implantação de sistemas de racionamento de água baseada numa educação para a sustentabilidade pode ser possível no universo escolar, que é um dos meios importantes para a formação do cidadão. A universidade torna-se, portanto, um ambiente propício para discutir a importância desse recurso, implementar ações e avaliar resultados com relação ao seu uso (Araújo, 2018).

Objetivo Geral
O projeto Re-curso Água terá como objetivo levantar informações, implementar medidas que gerem economia e conscientização dos alunos, servidores e colaboradores da UNIFAL-MG a respeito do consumo de água na instituição. O projeto visa ainda estimular a multiplicação dessas ações fora da universidade e melhorar a posição da UNIFAL-MG nos rankings sobre sustentabilidade como o UI GreenMetric.

Objetivos Específicos
- Realizar o levantamento e comparação dados sobre o consumo de água dos campi trabalhados antes e depois da implementação das medidas de economia; - Implementar medidas que reduzam o consumo da água utilizada em descargas do tipo caixa acoplada; - Implementar medidas para a coleta e o reuso da água da chuva em pontos específicos dos campi trabalhado; - Implementar medidas para a coleta e o reuso da água gerada pelo processo de destilação nos laboratórios dos campi da UNIFAL-MG; - Promover a conscientização e a mudança de hábitos da comunidade universitária no sentido da economia de água e da multiplicação dessas informações fora da universidade; - Reduzir de forma significativa a despesa da UNIFAL-MG com água, permitindo otimizar a gestão de verba pública.

Justificativa
A perda de água em sistemas prediais via vazamentos, uso irracional e ausência de medidas que visam a economia pode chegar a volumes consideráveis. Tais resultados podem depender da tipologia da edificação (residencial, comercial, escolar, repartições, indústria), do estado de conservação/manutenção das instalações e da consciência dos usuários (Silva, 2005; Ilha; Pedroso; Ywashima, 2008; Mendanha; Paula; Oliveira, 2010). Enquadradas no nível sistêmico “micro” (sistemas prediais), diversas instituições implementaram programas de redução do consumo obtendo resultados positivos (Oliveira, 1999; Mendanha; Paula; Oliveira, 2010), o que credencia essas ações para aplicações sobretudo em edificações escolares. Pimentel et al. (2016) obtiveram sucesso na redução do consumo de água vasos sanitários com caixa acoplada instalando garrafas plásticas de 600 mL no seu interior. A economia total no período e local trabalhado foi de quase 35% ou 30000 litros de água por mês. Muitas universidades mantém em funcionamento sistemas de destilação de água convencionais, que podem utilizar mais de 30 L de água para refrigerar a produção de cada litro de água destilada. No estudo realizado por Medeiros, Storck e Volpatto (2017), para o uso em 1 hora, foram gerados de 127,4 a 192,3 litros de água (passíveis de reuso) para a produção de 5 litros de água destilada. Percebe-se, sobretudo, a contribuição para a formação do cidadão ético, político, social, e elemento difusor do sentimento preservacionista (Araújo, 2018). Mudanças simples de hábitos no cotidiano das pessoas e medidas de economia com boa relação custo x benefício podem representar um gatilho importante para o uso sustentável da água. O processo de conscientização institucional traz motivação para que essas ações se concretizem e se multipliquem para além dos limites da universidade (Oliveira, 2013).

Beneficiário
A comunidade universitária (alunos, servidores e colaboradores) da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), nos campi trabalhados, além da população em geral através dos agentes multiplicadores.