NPL - NASCIDOS PARA LER

Apresentação
O Projeto de Extensão “NPL – Nascidos para Ler” visa promover a leitura em família por parte dos pais às crianças de 0 a 5 anos, inserindo dentro da rotina pediátrica dos serviços de atenção primária, o estimulo ao desenvolvimento infantil atraves da leitura familiar. Busca, além de inserir a leitura, desenvolver ações conjuntas (serviço de saúde- famílias) para melhorar a interação entre pais-filhos estimulando assim o desenvolvimento infantil. A proposta tem um caráter inovador, pois o foco não é simplesmente a leitura e sim o desenvolvimento infantil e a integração familiar. Também é inovadora no sentido de não só melhorar o registro e a vigilância do desenvolvimento infantil que é deficitário e irregular no Brasil (CAMINHA et al., 2017), mas também propor uma prática nova dentro das consultas pediátricas e de enfermagem.

Introdução
Embora o estimulo ao desenvolvimento infantil pelos profissionais de saúde e pais esteja dentro das recomendações do Ministério da Saúde, poucas estratégias são implementadas nos serviços de saúde neste sentido, sobretudo em países de baixa e média renda (WEISLEDER et al., 2018). O projeto “Nascidos para Ler” foi promovido pela Associação Bibliotecária e pelo Centro de Saúde Infantil italianos, espalhando-se rapidamente pelo país. Seu principal objetivo era a promoção da voz alta no ambiente familiar de crianças em idade pré-escolar. O projeto ocorria de uma maneira semelhante a outros projetos mundiais como Reach Out and Read", difundido nos EUA e ao projeto inglês "Book start " (TOFFOL et al., 2011). Em 2014, a Academia Americana de Pediatria e Reach Out and Read enfatizou formalmente o aconselhamento de famílias sobre leitura compartilhada a partir do nascimento(SINCLAIR et al., 2018). Estudos internacionais tem demonstrado o impacto da leitura compartilhada entre pais e filhos no desenvolvimento infantil. O estudo de Roia e colaboradores (2014)mostrou que o uso de materiais audiovisuais podem ser uma ferramenta complementar eficaz e benéfica em diferentes momentos durante o primeiro ano de vida do bebê. Outro estudo avaliou o impacto o impacto da leitura em voz alta e o papel específico dos pediatras familiares. Identificou-se que a intervenção do pediatra foi eficaz em promover a leitura em voz alta para as crianças entre pais que não tinham hábitos de leitura (TOFFOL et al., 2011). As descobertas sugerem uma oportunidade para o fornecimento de livros infantis na primeira infância por meio da atenção primária, especialmente para famílias em risco social e economico (SINCLAIR et al., 2018). O Brasil recomenda o estímulo ao desenvolvimento infantil em todos os seus manuais. A recomendação brasileira em apoiar a vigilância do desenvolvimento infantil ocorre desde 1984. Em 1995, incluíram-se marcos do desenvolvimento no Cartão da Criança, tornando-se tais marcos, em 2004, ato normativo para registro da vigilância por meio desse instrumento (CAMINHA et al., 2017). Entretanto, não há ainda no Brasil, qualquer recomendação sobre atividades que possam estimular este desenvolvimento dentro das consultas de puericultura. A consulta de puericultura, para muitas crianças, constitui-se na única oportunidade que possuem para verificar seu estado de saúde; assim, deve-se considerá-la também como uma chance para que o sistema possa atuar integralmente na promoção do crescimento e sobretudo do desenvolvimento.

Objetivo Geral
Promover o desenvolvimento infantil e a interação pais-filhos através do estímuilo da leitura em familia durante as consultas de puericultura.

Objetivos Específicos
• Divulgar os benefícios para a criança e o método científico relativo a familiarização com a leitura desde a primeira infância. • Discutir a finalidade, os princípios básicos e a modalidade operante dos principais programas de promoção da leitura em família no mundo: Reach Out and Read, BookStart, Nati per Leggere. • Estimular, de acordo com as fases de desenvolvimento da criança 0-6 anos e relacioná-las com as características apropriadas aos livros para crianças. • Divulgar a produção editorial para a infância e os criterio de seleção dos livros apropriados. • Difundir as principais estratégias e os materiais para uma comunicação eficaz do programa. • Fortalecer a rede local para garantir eficácia e sustentabilidade do projeto. • Estabelecer relações e modalidades operantes para iniciar um projeto municipal com o objetivo de promover a leitura em família.

Justificativa
A promoção do desenvolvimento infantil saudável está no cerne da prática pediátrica, mas um grande desafio enfrentado pela área é a aplicação de práticas baseadas em evidências (DUURSMA; AUGUSTYN; ZUCKERMAN, 2008). A literatura é clara no que diz respeito à leitura em voz alta para crianças: ler regularmente com crianças pequenas estimula os padrões ideais de desenvolvimento do cérebro e fortalece os relacionamentos entre pais e filhos em um momento crítico do desenvolvimento infantil, que, por sua vez, constrói habilidades de linguagem, alfabetização e socioemocionais que duram uma vida inteira (COUNCIL ON EARLY CHILDHOOD; HIGH; KLASS, 2014; DUURSMA; AUGUSTYN; ZUCKERMAN, 2008). A Academia Americana de Pediatria (AAP) recomenda que os profissionais de saúde pediátricos promovam o desenvolvimento inicial da alfabetização para crianças desde a infância e continuem pelo menos até a idade de entrada no jardim de infância. As estratégias recomendadas envolvem o aconselhamento a todos os pais: a ler em voz alta para melhorar as relações entre pais; buscar leituras que sejam adequadas ao desenvolvimento e agradáveis para as crianças e seus pais; fornecer livros apropriados para o desenvolvimento ministrados em visitas de supervisão de saúde para todas as crianças pequenas de alto risco e baixa renda; usar opções diversificadas para apoiar e promover esses esforços; e formar parcerias com outros defensores da criança para influenciar as mensagens e políticas nacionais que apóiam e promovem essas experiências fundamentais de leitura compartilhada. A AAP apóia o financiamento federal e estadual de livros infantis em visitas de supervisão de saúde pediátrica a crianças de alto risco que vivem perto do limiar de pobreza ea integração da promoção da alfabetização, um componente essencial da atenção primária pediátrica, na educação de residentes pediátricos (COUNCIL ON EARLY CHILDHOOD; HIGH; KLASS, 2014). Outros estudos internacionais mostram que a intervenção dos profissionais de saúde pediátricos na promoção da leitura em voz alta para crianças é eficaz, especialmente entre os pais que não demonstram nenhuma atitude em relação à leitura (SINCLAIR et al., 2018; THAKUR et al., 2016; TOFFOL et al., 2011). Estudo brasileiro também mostrou que a promoção da leitura de pais e filhos em voz alta, resultou em benefícios para as interações entre pais e filhos e para o desenvolvimento infantil, recomendando novas propostas e avaliações aprofundadas (WEISLEDER et al., 2018). Os serviços de saúde que atendem crianças constituem-se em um espaço rico para ações que estimulem o desenvolvimento infantil, garantindo o acesso e a integralidade do cuidado. Outras estratégias como a visita domiciliar, os grupos, e as dicas de leitura nas salas de exames (THAKUR et al., 2016), baseados em evidências científicas (COUNCIL ON EARLY CHILDHOOD; COUNCIL ON SCHOOL HEALTH, 2016), podem favorecer o desenvolvimento infantil.

Beneficiário
Crianças, mães e pais atendidos nas unidades da Estratégia de Saúde da Família do município de Alfenas.