OFICINAS INTERATIVAS DE ARTE E CULTURA: DE CORPO E ALMA

Apresentação
Projeto elaborado para atender aos objetivos da UNATI, com oficinas interativas abordando atividades culturais e artísticas, objetivando melhorar a capacidade fisiológica e cognitiva, favorecendo o bem estar mental e psíquico dos sujeitos envolvidos. Sustentadas na epistemologia Freiriana, as oficinas provocam a ação ativa da pessoa idosa, e em cada abordagem estimula de diferentes formas, a capacidade cognitiva e motora das pessoas com idade de 60 anos ou mais. A perspectiva e melhorar a qualidade de vida e trazer benefícios à este grupo populacional, que precisa de muito estímulo e espaços de troca e socialização. A proposta é realizar atividades que possibilitam resgate das artes e ofícios tradicionais, bem como movimentação do corpo, estimulando a coordenação motora, a memória e a concentração, por meio da construção de artesanatos com fios, pinturas em tecido e em tela, trabalhos com argila, música, teatro, atividade física, desenhos, dança, música, ioga, dentre outros.

Introdução
O prolongamento da vida, de fato, é uma aspiração de qualquer sociedade e deve ser comemorado amplamente. No entanto, só pode ser considerado como uma real conquista na medida em que se agregue qualidade aos anos adicionais de vida. Dessa forma, como consequência do envelhecimento, o declínio físico e muitas vezes intelectual, continua sendo um grande desafio. A capacidade funcional é um componente fundamental para a qualidade de vida em faixas etárias mais avançadas e conforme Campos e Neto (2008) é uma medida de desfecho que tem sido utilizada por clínicos, pesquisadores, economistas, administradores e políticos, estando diretamente relacionada com promoção de saúde. Qualquer ação destinada aos idosos deve considerar sua independência funcional, necessidade de autonomia, participação social, cuidado e autossatisfação. Também deve abrir campo para a possibilidade de atuação em variados contextos sociais e de elaboração de novos significados para a vida na idade avançada. Deve ainda incentivar, fundamentalmente, a prevenção, o cuidado e a atenção integral à saúde (Veras, 2009; Moreira et al., 2013). Assim, faz-se necessário, esforços nas diferentes áreas profissionais, objetivando intervenções efetivas para um envelhecimento saudável e ativo, priorizando a manutenção da independência e autonomia da pessoa. A autonomia e a independência são aspectos fundamentais, pois constituem objetivo primordial do idoso, cujo foco está relacionado com sua funcionalidade e capacidade de realizar as atividades do dia a dia. A autonomia, aqui entendida como capacidade de governar as próprias ações, tomar decisões, e a independência é a capacidade de realizar algo com seus próprios meios. Em situações dependência, o indivíduo apresenta dificuldade ou impossibilidade de executar atividades cotidianas, com necessidade de assistência, comprometendo a funcionalidade e liberdade do idoso. As práticas em grupo constituem uma forma de promover a saúde e a qualidade de vida. A modalidade grupal estimula o indivíduo participante a se tornar o agente da própria mudança, além de propiciar um aprendizado interpessoal a partir do contato com o outro (Santos et al., 2006; Tavares et al., 2012; Moreira et al., 2013). Por meio da ação grupal é possível o reconhecimento das necessidades subjetivas e coletivas do indivíduo, o que permite a construção do cuidado em saúde (Santos et al., 2006). Ações por meio de atividades em grupo podem ser recursos valiosos para promoção de saúde e prevenção de agravos à saúde. A ênfase em atividades que envolvam a prática de atividades físicas, objetivando a manutenção da capacidade funcional e bem-estar, oficinas voltadas para melhora e manutenção da cognição, orientação e estímulo à socialização, alimentação saudável, controle de fatores de risco cardiovasculares, além da promoção a um envelhecimento ativo e saudável, com ênfase na educação em saúde, podem resultar em conquistas significativas para um envelhecimento ativo e bem sucedido.

Objetivo Geral
Contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos idosos partir benefícios psicossociais, fisiológicos e cognitivos com prática de atividades física, culturais e de laser.

Objetivos Específicos
- Buscar estimular a população envolvida sobre a relevância das atividades culturais, artísticas e lúdicas na qualidade de vida da pessoa idosa; - desenvolver atividades que envolvam, música, artesanato, culinária, dentre outras, para resgate da cultura tradicional e que forneça atributos lúdicos para melhorar aspectos na qualidade de vida das pessoas envolvidas no projeto, reconhecendo e valorizando a cultura local; - Buscar interagir com os idosos participantes das atividades de forma a trocar saberes e melhorar a compreensão sobre a necessidade, os limites e as possibilidades do desenvolvimento de atividades físicas, culturais e lazer que garantam a participação das pessoas com mais de 60 anos de idade, reconhecendo e valorizando a cultura local.

Justificativa
Com o crescente crescimento da população acima de 60 anos, as projeções para 2050 são de que 19% da população brasileira esteja nesse grupo etário, devido ao principal fenômeno demográfico do século XX, conhecido como envelhecimento populacional, que ocorre em diferentes momentos ao redor do mundo (Nasri, 2008). O aumento do número de idosos e expectativa de vida necessita ser acompanhado pela melhoria e manutenção da saúde e qualidade de vida, sendo que este fato tem exigido respostas, principalmente, no que diz respeito, às políticas de saúde e sociais dirigidas a essa população (Lima et al., 2009). Torna-se importante que a sociedade, as instituições e o poder público auxiliem as pessoas na preparação para um envelhecimento saudável e passem a ver o idoso como uma das prioridades para fomento e ampliação de programas que visem a melhoria da qualidade de vida destas pessoas. Diante dessa realidade, uma equipe de docentes, técnicos de diferentes áreas da Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG (Fisioterapia, Enfermagem, Farmácia e Nutrição), vem desenvolvendo trabalhos, estudos e pesquisas relacionadas aos idosos e, partindo dos pressupostos de que a UNIFAL-MG é uma instituição formadora de recursos humanos em saúde e tem a responsabilidade de capacitar profissionais para atuar na área geronto/geriátrica. Ela pode possibilitar espaços que permitam esse grupo populacional interagir com outras pessoas de diferentes idades, que permita difundir a importância da prática consciente, lúdica, solidária e com autonomia das atividades físicas, esportivas, culturais e de lazer para o envelhecimento saudável é de suma importância. Poderá ampliar as oportunidades de participação dos sujeitos com mais de 60 anos em atividades que resgatam a cultura, a arte, a música, a culinária tradicional, o fazer artesanatos, participar de atividade física direcionada, proporcionando não somente o lazer, mas, permitindo a integração social, o bem estar geral, psicomotor, cognitivo, afetivo e relacional. Nesses momentos a academia com seus arsenal teórico-metodológico pode e deve provocar reflexões, trocas de saberes, produção de novos conhecimentos a partir destas interações, visando melhorar as práticas em saúde com vistas a atender as reais necessidades da população de maneira mais efetiva possível. Desse modo, avaliar as condições de vida do idoso é importante para o desenvolvimento de alternativas válidas de intervenção em programas de saúde, políticos e sociais.

Beneficiário
Pessoas com 60 anos ou mais.