A IMAGINAÇÃO SOCIOLÓGICA E O SUL DE MINAS

Apresentação
“A imaginação sociológica e o sul de Minas” é um projeto de ensino, pesquisa e extensão desenvolvido em parceria com a Escola Estadual Padre José Grimminck, a Escola Estadual Prefeito Ismael Brasil Corrêa, o jornal eletrônico "Alfenas Hoje" e o curso de Ciências Sociais da Unifal-MG. O objetivo é fomentar a reflexão sobre a sociedade sul-mineira, por meio da análise de dados secundários extraídos de fontes oficiais. O projeto possibilita ao aluno utilizar as práticas das disciplinas de metodologias do curso para pensar a realidade local. A comunicação das análises sociológicas desenvolvidas possibilitará aos discentes desenvolverem habilidades de transposição da linguagem acadêmica para uma formulação de fácil compreensão que pode ser apresentada na forma de planos de aula, pequenos artigos analíticos, cursos e palestras. Ao democratizar o saber sociológico, o projeto pode subsidiar gestores locais, ativistas sociais e cidadãos no debate sobre políticas públicas.

Introdução
A articulação das atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas nas universidades com as escolas públicas da educação tem sido discutida e cada vez mais realizada. Essa é a visão após oito anos de contato do coordenador deste projeto com alguns professores de escolas da cidade de Alfenas, por meio da participação no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e pelo desenvolvimento do projeto de pesquisa “As estatísticas escolares e o cotidiano da escola”. Para tanto, o presente projeto se propõe a realizar levantamentos e análises de dados secundários disponíveis em sítios públicos (IBGE, IPEA, MTE, dentre outros) com vista a produzir conhecimento em linguagem de fácil compreensão pelo cidadão comum, de modo a democratizar o acesso à informação e contribuir para um debate informado sobre a realidade local. Especificamente, o projeto prevê o levantamento, a análise de dados e discussões sobre a realidade social (população, trabalho, economia, saúde, cultura), envolvendo os estudantes e professores das escolas parceiras nestas etapas. Posteriormente, como o apoio do Jornal Alfenas Hoje, pequenos artigos analíticos serão publicados em matérias sobre os temas produzidos, atividade que poderá, inclusive, promover a coautoria entre os estudantes das escolas parceiras e os estudantes da Unifal que participarão do projeto. O projeto permite o desenvolvimento daquilo que o cientista social norte americano Wright Mills (1959) denominou de imaginação sociológica, isto é: a capacidade de fugir de nossas rotinas diárias para interpretar fatos da vida social na qual estamos imersos. O levantamento, a análise de dados e sua posterior divulgação correspondem a etapas importantes do debate público sobre as questões sociais a serem tratadas pelas políticas públicas. Tais tarefas correspondem a um elemento fundamental para formação de estudantes no curso de Ciências Sociais, sendo um dos aspectos fundamentais das diretrizes nacionais da área que tem em um de seus objetivos formar pesquisadores (acadêmicos ou não). Este projeto oferece uma contribuição direta à formação dos discentes do curso. Todavia, contribui também para a formação de cidadãos críticos, dentro e fora da Universidade, e desejosos em conhecer para além do senso comum. Dessa maneira, a proposta de desenvolver, no âmbito da formação de um cientista social, um conjunto de ações que ajudem a analisar, apresentar e discutir dados sobre a realidade social local, toma por base os currículos escolares da educação básica, de maneira a levar aos estudantes, neste nível educacional, informações sobre as questões sociais, as políticas públicas e as formas de desenvolver pesquisas com dados secundários, auxiliando, assim, os professores em seus conteúdos na construção de sentidos para o conhecimento sociológico. Entende-se que dessa maneira se articulam as questões de indissociabilidade, de interdisciplinaridade e da relação dialógica entre Universidade e Sociedade.

Objetivo Geral
Propiciar a produção, divulgação e discussão de conhecimento sobre a realidade social, por meio de processos de formação dos estudantes de graduação em Ciências Sociais e da educação básica, tomando por base os conteúdos trabalhados pelos professores e os diversos dados secundários disponíveis em sítios oficiais com informações públicas.

Objetivos Específicos
Despertar a imaginação sociológica de estudantes da educação básica possibilitando-os pensar, por meio de dados empíricos, sobre questões relacionadas às cidades do sul de minas, mas atentando-se para além de suas rotinas familiares. Aproximar profissionais em atuação há anos na rede escolar de conceitos e teorias atuais empregados nas análises sociológicas; Articular ações desenvolvidas nas disciplinas de metodologia do curso de Ciências Sociais com os conteúdos da educação básica; Capacitar novos cientistas sociais na organização e análise de dados e comunicação com o público não acadêmico; Despertar interesse pela atividade do cientista social no nível básico; Produzir conhecimento e fomentar reflexão sobre a realidade social local, na qual a Unifal está inserida; Estimular diálogo universidade-escola pública local por meio de análises de dados e elaboração de relatórios; Contribuir para que a Universidade se torne centro de referência regional sobre informações sociais. Contribuir com a formação de estudantes de graduação em Ciências Sociais da Unifal-MG no que se refere ao exercício do trabalho coletivo de estudo e planejamento de ações, o que pode contribuir para a formação de cidadãos concisos de suas possibilidades de atuação social; Despertar o interesse de atores políticos e sociais relevantes, que lidam com informações sobre a realidade social, de maneira a apresentar possibilidades de parcerias futuras; Levantar e analisar informações sobre a realidade social; Desenvolver um trabalho colaborativo com professores da educação básica buscando subsidiar suas aulas com informações sobre a realidade local, contextualizando os conteúdos curriculares; Subsidiar projetos de pesquisa, de iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso.

Justificativa
Uma das grandes discussões sobre o impacto da produção acadêmica diz respeito às maneiras como são divulgadas as pesquisas elaboradas. Se a produção de conhecimento é grande, sua divulgação e, logo, apreensão pela comunidade não se faz na mesma proporção, o que fez com que ao longo dos anos se criasse a imagem de que a Universidade está distante da Sociedade. Nesse projeto, para além da atividade de levantamento e análise dos dados (dimensão da pesquisa), o foco principal encontra-se na divulgação dos resultados por meio da elaboração conjunta de materiais de divulgação (planos de aula, pequenos artigos analíticos e oficinas) sobre a realidade social local, os quais formarão a base fomentar o debate com a comunidade, quer seja no âmbito das escolas parceiras, quer seja em colaboração com um importante meio de comunicação da cidade de Alfenas. Destarte, o desafio central na dimensão extencionista do projeto “A imaginação sociológica e o sul de Minas” encontra-se em realizar a transposição do conhecimento produzido na Universidade no âmbito das disciplinas de ciências sociais em uma linguagem de fácil acesso, que permita a divulgação de resultados de pesquisas, mas, principalmente, fomente um debate informado sobre a realidade local. A inexistência de iniciativas dessa natureza no âmbito das ciências sociais da Unifal constituiu uma justificativa da extrema relevância do projeto. Além da necessidade de suprir a carência identificada, dois eixos justificam a importância do trabalho: a formação dos estudantes de graduação e a formação de estudantes da educação básica. No plano da formação de estudantes de graduação é necessário proporcionar aos estudantes o conhecimento da realidade social na qual estão inserido, por meio da realização de atividades de ensino, pesquisa e extensão que busquem articular a vida universitária (acadêmica) com o contato e cotidiano da comunidade local, de modo a permitir-lhe melhores condições de reflexão e espaços de ação e decisão. Também existe a necessidade de se formar técnicos capacitados para a elaboração de diagnósticos sobre a dinâmica social local, regional, nacional e global, por meio do estudo de dados disponíveis. Aos estudantes do ensino fundamental e médio seria oferecida a possibilidade do contato com análises efetuadas no interior da Universidade, mas de maneira discutida com os temas propostos para os currículos escolares, em que se debateriam questões da realidade social baseadas em dados empíricos. Ao fim dos trabalhos é possível pensar que tenhamos um conjunto de análises sobre a realidade social da região, tendo em vista problemas sociais levantados nas discussões com estudantes e docentes da educação básica. Dessa maneira, se induz a pensar nas questões de formas de desenvolvimento regional, tema de amplo debate atualmente. Veiga (2003, p. 49) sugere que haja um arranjo entre diversas instituições que analisem e discutam as questões buscando planos de desenvolvimento local para as regiões, realizando um bom diagnóstico do território. A Universidade, que já atua em diversos programas conjuntamente com instituições e entidades da região (área de saúde e mais recentemente na área de educação), deve ser uma das instituições participantes das discussões sobre a região em seus diversos aspectos (sociais, econômicos, culturais etc.), por atender a dois princípios importantes: é federal, mas está no local, além de ser pública e ter o dever, até por ter especialistas em diversos assuntos, de produzir conhecimento para dar suporte ao desenvolvimento de políticas públicas: O que mais faz falta é um arranjo institucional que ajude articulações intermunicipais a diagnosticar os principais problemas de suas microrregiões, planejar ações de desenvolvimento integrado, e captar os recursos necessários à sua execução. [...] Nas fases de diagnóstico e planejamento, a ajuda governamental poderá até ser mais efetiva se envolver uma alocação temporária de recursos humanos com a capacitação necessária. Por exemplo, financiando grupos de estudos de universidades e de outros centros de pesquisa para auxiliarem as articulações intermunicipais. (Veiga, 2003, p. 49-50). Neste sentido, este projeto ganha força ainda maior ao considerar que o que se define com local, aqui, não se restringe aos limites das cidades, mas podem envolver o conjunto de cidades em suas relações intermunicipais e os desafios de resolverem problemas comuns.

Beneficiário
Estudantes de graduação da Unifal-MG, professores das escolas parceiras da educação básica, estudantes do ensino fundamental e médio das escolas parceiras, leitores do “Alfenas Hoje” e, potencialmente, os gestores públicos locais que poderão fazer uso das informações produzidas.