PIC AÇÃO

Apresentação
A criação do PIC AÇAO teve início em 2018, é um projeto de extensão que faz parte do programa de extensão: práticas integrativas e complementares em saúde da UNIFAL(PICSUNIFAL) que conta com uma equipe multidisciplinar (curso de fisioterapia, biomedicina, odontologia, nutrição, enfermagem, farmácia, medicina e área da educação) e a participação de professores, alunos e profissionais da atenção básica de saúde do município de Alfenas-MG. A PIC AÇÃO tem como finalidade através desenvolvimento de ações de pesquisa, ensino e extensão realizarem um censo sobre o uso das Práticas Integrativas e Complementares (PIC) em saúde nas doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) na cidade de Alfenas/MG.

Introdução
As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são um problema de saúde mundial, que representam a maior carga de morbimortalidade no Brasil, tornando-se a principal prioridade na área de saúde no Brasil (DUCAN et. al., 2012; SCHMIDT et al., 2011). As DCNT têm gerado perda da qualidade de vida com alto grau de limitação nas atividades funcionais e no trabalho, além de impactos econômicos para as famílias, comunidades e a sociedade em geral (MALTA, NETO E JUNIOR, 2011). O impacto das DCNT poderá ser revertido por meio de intervenções amplas e custo-efetivas de detecção precoce e tratamento oportuno (MALTA, NETO E JUNIOR, 2011). Um tratamento que vem alcançando um desenvolvimento excepcional nas últimas décadas são as práticas integrativas e complementares (PIC) que existem diversas evidências da sua popularidade entre usuários e profissionais de saúde (SIMONI, BENEVIDES E BARROS, 2008). As PIC são consideradas um fenômeno social importante na atualidade. Um conceito ainda em construção, entretanto com demanda mundial crescente por parte de usuários e profissionais da área da saúde (GALE, 2015). São técnicas e saberes do cuidar de si e dos outros, atuando na atenção humanizada, visando o princípio da integralidade, reequilíbrio por mecanismos naturais e de baixo risco (MORETTI, 2009). O Ministério da Saúde brasileiro publicou no Diário Oficial da União, em maio de 2006, a Portaria 971, que criou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS). A Política estabeleceu a implantação e implementação de ações e serviços no SUS, com o objetivo de garantir a prevenção de agravos, a promoção e a recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, além de propor o cuidado continuado, humanizado e integral em saúde. A PNPIC autorizou a utilização da homeopatia, acupuntura (medicina tradicional chinesa), fitoterapia e termalismo social ou crenoterapia nos tratamentos do SUS e recomendou a implantação e implementação das ações e serviços relativos às PIC pelas Secretarias de Saúde dos estados, Distrito Federal e Municípios (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2015). Plantas Medicinais e fitoterapia é definida como uma espécie vegetal, cultivada ou não, utilizada com propósitos terapêuticos (JARDIM, 2016). A fitoterapia apresenta-se como uma possibilidade de atuar como coadjuvante os tratamentos alopáticos, desde que sejam levadas em consideração o conhecimento sobre sua utilização (BRUNING, MOSEGUI E VIANA, 2012; NICOLETI ET.AL, 2007). A auriculoterapia é uma técnica da Medicina Tradicional Chinesa que utiliza da estimulação de acupunto auricular para alivio de enfermidades físicas e mentais, é baseada na teoria da microssistema, e nos mecanismos reflexos (JOHNSTON, ORTIZ, VUJANOVIC, 2011; CHOI. JIANG, LONGHURTS, 2012). Quando os acupuntos são estimulados desencadeiam uma série de reações bioquímicas e funcionais no sistema nervoso central para tratar diversas doenças, buscando equilíbrio energético (SOUZA, 2012).

Objetivo Geral
Realizar um censo sobre o uso das Práticas Integrativas e Complementares (PIC) em saúde nas doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

Objetivos Específicos
- Realizar um censo em todos os serviços de Atenção Primária em Saúde (APS) do município de Alfenas-MG, para identificar quais PIC são ofertadas nas DCNT. - Identificar o custo do tratamento medicamentoso de pessoas com doenças crônicas não transmissíveis (diabetes e hipertensão) no serviço APS no município de Alfenas/MG - Identificar as percepções das pessoas com DCNT (diabetes e hipertensão) sobre a utilização da PIC nos serviços de APS em Alfenas/MG. - Orientação para os profissionais da área de saúde, discentes do curso da área de saúde da UNIFAL e para os usuários do serviço APS sobre fitoterapia (forma de cultivo, coleta, secagem, preparo) - Capacitar os profissionais da área de saúde e acadêmicos do curso da área de saúde da UNIFAL-MG sobre a auriculoterapia E fitoterapia na atenção primária à saúde.

Justificativa
As DCNT torna-se a principal prioridade na área de saúde no Brasil em decorrência da morbimortalidade (DUCAN et. al., 2012; SCHMIDT et al., 2011). As DCNT têm gerado perda da qualidade de vida com alto grau de limitação nas atividades funcionais e no trabalho, além de impactos econômicos para as famílias, comunidades e a sociedade em geral (MALTA, NETO E JUNIOR, 2011). O impacto das DCNT poderá ser revertido por meio de intervenções amplas e custo-efetivas de detecção precoce e tratamento oportuno (MALTA, NETO E JUNIOR, 2011). Um tratamento que vem alcançando um desenvolvimento excepcional nas últimas décadas são as práticas integrativas e complementares (PIC) que existem diversas evidências da sua popularidade entre usuários e profissionais de saúde (SIMONI, BENEVIDES E BARROS, 2008).O Ministério da Saúde brasileiro publicou no Diário Oficial da União, em maio de 2006, a Portaria 971, que criou a Política Nacional (PN) de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) no Sistema Único de Saúde (SUS). A Política estabeleceu a implantação e implementação de ações e serviços no SUS, com o objetivo de garantir a prevenção de agravos, a promoção e a recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, além de propor o cuidado continuado, humanizado e integral em saúde, contribuindo com o aumento da resolubilidade do sistema, com qualidade, eficácia, eficiência, segurança, sustentabilidade, controle e participação social no uso. O que evidencia a necessidade e importância da realização deste projeto. Outro motivo por parte dos alunos é de não ter este conteúdo do projeto pedagógico dos cursos da área da saúde da Unifal (curso de biomedicina, enfermagem, nutrição, farmácia, fisioterapia, odontologia e medicina). Para estimular a integração dos saberes e estreitamento dos vínculos entre a Universidade e os profissionais no serviço de Atenção Primária em Saúde também fazem o propósito deste projeto.

Beneficiário
As ações que serão promovidas pelo projeto beneficiarão diretamente os discentes e profissionais da área da saúde dos serviços da atenção básica de saúde do município de Alfenas, como também os usuários do serviço de APS, os quais terão oportunidade de aprimorar seus conhecimentos na PIC.