ASSISTÊNCIA A PACIENTES GERIÁTRICOS INSTITUCIONALIZADOS

Apresentação
Este projeto visa prestar atendimento odontológico e cuidados gerais de saúde a idosos moradores do Lar São Vicente de Paulo, em Alfenas; permitindo, assim, a atenção integral à saúde desses indivíduos bem como a capacitação de seus cuidadores para a manutenção das práticas cotidianas. Objetiva, também, fornecer aos acadêmicos dos cursos de Odontologia e Enfermagem, conhecimentos acerca de idosos institucionalizados, contato com outros profissionais de saúde que acompanham estes idosos e permitir a troca de experiências entre todos os envolvidos (professoras, acadêmicos, idosos, cuidadores e demais profissionais). Os atendimentos ocorrerão prioritariamente nas dependências do asilo. Vinculado a este projeto de extensão, ocorrerá um projeto de pesquisa que avaliará a melhora na qualidade de vida de idosos institucionalizados após os cuidados recebidos e a capacitação dos cuidadores.

Introdução
A OMS define a população idosa como aquela com mais de 60 anos. Segundo o último Censo (2010), os idosos ultrapassavam 20 milhões no Brasil, o que corresponde a 10,8% da população total (Ferretti et al., 2014). O envelhecimento humano é acompanhado de desordens funcionais e cognitivas como a redução do tônus muscular, problemas articulares e redução da acuidade visual, que podem levar à fragilidade do idoso. Esse conjunto de alterações pode acarretar em limitações para o desempenho das atividades cotidianas destes indivíduos de maneira independente (Saliba et al., 2017). O aumento da proporção de idosos com incapacidades e fragilizados, a redução da disponibilidade de cuidado familiar e transferências intergeracionais no contexto urbano, o alto custo do cuidado domiciliar, moradias com espaço físico reduzido e estruturas com riscos para quedas e a violência contra o idoso são considerados fatores de risco para a institucionalização (Bonfá et al., 2017). Para a ANVISA, as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), também chamadas de abrigo, asilo, lar, casa de repouso, clínica geriátrica ou ancionato, são instituições governamentais ou não, de caráter residencial, destinadas ao domicílio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, com ou sem suporte familiar, em condição de liberdade, dignidade e cidadania. São domicílios coletivos que oferecem cuidados e algum tipo de serviço de saúde. Compõe a rede de habitação e de serviços da assistência social, atendendo às necessidades da comunidade. No entanto, o envelhecimento da população e o aumento da sobrevivência de pessoas com redução da capacidade física, cognitiva e mental requerem que as instituições deixem de fazer parte apenas da rede de assistência social e integrem a rede de assistência à saúde (Ferreira et al., 2014). Nas ILPIs, os idosos podem ser pagantes ou não. O ambiente deve ser capaz de resgatar antigos hábitos, experiências e recordações; deve ter recursos humanos para atender às necessidades e ser classificado segundo quatro modalidades, de acordo com a especialização do atendimento e a capacidade funcional do idoso (Freitas et al., 2006). Os serviços das ILPIs devem contar com assistência médica, odontológica, enfermagem, nutricional, psicológica, farmacêutica, atividades de lazer, reabilitação, serviço social, apoio jurídico e administrativo e serviços gerais (Alencar et al., 2008). Porém, não são todas as ILPIs que contam com instalações físicas adequadas e profissionais de saúde na composição de seu quadro de funcionários de modo que, para receberem determinados tratamentos, os idosos precisam ser deslocados até clínicas particulares ou públicas. Vale ressaltar, ainda, que grande parte dos idosos institucionalizados apresentam problemas mentais e/ou motores que afetam sua locomoção, o que dificulta ainda mais o acesso aos tratamentos necessários para manutenção da saúde.

Objetivo Geral
O convívio com idosos institucionalizados não é prática obrigatória nem tampouco frequente dentro dos cursos de Odontologia e Enfermagem. Desse modo, os objetivos gerais do presente projeto são: - Prestar atendimento aos idosos institucionalizados; - Fornecer orientações acerca do autocuidado aos idosos; - Capacitar os cuidadores e acadêmicos; - Promover a interação e troca de experiências.

Objetivos Específicos
- Fornecer aos alunos envolvidos com o projeto conhecimentos teóricos e práticos suficientes para o atendimento de idosos institucionalizados; - Fornecer acompanhamento odontológico e cuidados de saúde em geral aos idosos assistidos. - Capacitar os cuidadores a realizarem a manutenção dos cuidados prestados aos idosos; - Promover a troca de experiências entre idosos, acadêmicos, professores e a equipe do asilo; - Incentivar a pesquisa a respeito da melhora da qualidade de vida dos idosos após os tratamentos, orientações aos cuidadores e convívio com a equipe do projeto.

Justificativa
A realização do presente projeto se justifica pelo fato de a Atenção integral e interdisciplinar ao paciente idoso ser abordada somente de forma teórica dentro dos cursos de Odontologia e Enfermagem, de modo que os acadêmicos se formam sem praticarem este tipo de tratamento e sem terem o conhecimento da realidade do idoso institucionalizado e das carências enfrentadas pelos asilos. O contato dos alunos de graduação com a equipe de profissionais que acompanham os idosos produzirá conhecimentos acerca da multidisciplinaridade e interdisciplinaridade que dificilmente seriam adquiridos nas aulas práticas convencionais; e o contato dos alunos com os idosos promoverá um aprendizado e um crescimento pessoal muito grande. Justifica-se, também, pela necessidade de receber atendimento gratuito e de qualidade por parte dos idosos, atenção no sentido mais amplo, de troca de experiências e convívio entre estes e a equipe do projeto; e a capacitação fornecida por estudantes e profissionais especialistas aos cuidadores.

Beneficiário
O público alvo desta ação serão idosos moradores do Asilo São Vicente de Paulo, em Alfenas – MG e seus cuidadores.