VALORIZAÇÃO DO SABER TRADICIONAL NA FORMAÇÃO ACADÊMICA PARA A SUSTENTABILIDADE

Apresentação
O discurso da sustentabilidade, considerando ações ecologicamente corretas, socialmente justas e economicamente viáveis, está cada vez mais presente nos processos educativos e na inclusão de comunidades tradicionais como atores ativos nas tomadas de decisão. O conhecimento popular, muitas vezes marginalizados no contexto científico, tem sido incluído na produção do conhecimento acadêmico, considerando questões culturais, éticas, de percepção do meio ambiente. Alinhada a esta visão de sustentabilidade, esta proposta pretende aproximar as comunidades tradicionais da cidade de Poços de Caldas às atividades de formação acadêmica dos estudantes do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Alfenas, campus de Poços de Caldas, buscando atender a demandas ambientais locais e a solução de problemas que contemplem a articulação do saber empírico e saber científico na construção coletiva do conhecimento.

Introdução
As sociedades humanas vêm passando por diversas transformações sociais, culturais, tecnológicas e políticas ao longo dos anos. Frutos do crescimento populacional constante que vem gerando uma grande problemática ao meio ambiente, como geração de resíduos e degradação dos recursos naturais. Diante deste cenário, o discurso da sustentabilidade se torna um assunto prioritário e emergencial em toda sua dimensão, principalmente em relação aos processos educativos, com propostas de ações inovadoras e que despertem a curiosidade e uma postura mais sustentável em relação aos recursos naturais e as populações tradicionais locais. Segundo LEFF (2002), a questão ambiental gera um processo de fertilização transdiciplinar por meio da transposição de conceitos e métodos entre diferentes campos do conhecimento. Ela um conjunto de processos ecológicos, culturais e tecnológicos diferenciados, que não se acondiciona a um modelo único e global, pois se integram por formações teóricas, instrumentos técnicos e estruturas institucionais diversas, voltados à prática da sustentabilidade ambiental de uma forma interdisciplinar, enquanto necessidade da existência de diálogo entre os diferentes ramos do saber. Segundo Sato, 2004, a educação para a sustentabilidade equitativa é um processo de aprendizagem permanente, baseado no respeito a todas as formas de vida. As mudanças necessárias dependem de uma compreensão coletiva da natureza sistemática das crises que ameaçam o futuro do planeta. A situação de vulnerabilidade das comunidades tradicionais, caracterizadas pelo forte vínculo e dependência dos recursos naturais, se torna cada vez mais crítica. Estas se se encontram cada vez mais inacessíveis aos recursos necessários para manter sua tradição e desfavorecidas em relação ao acesso às inovações inerentes à sobrevivência no novo contexto econômico social e ambiental atual. A aproximação das comunidades tradicionais locais ao ambiente universitário e as propostas de ações que considerem a sociedade no contexto participativo e às lideranças como agentes de transformação, estão sendo priorizadas pelos centros de pesquisa e desenvolvimento no mundo todo. A promoção do diálogo, da troca de experiência, da sistematização e registro do conhecimento tradicional alinhado a perspectiva de conservação dos recursos naturais visando o desenvolvimento sustentável se faz necessário mais do que nunca a partir da nova perspectiva política mundial e nacional. Neste contexto, a presente proposta alinhada ao Edital PROBEXT 2009 pretende articular a participação ativa de comunidades local no ambiente universitário por meio da promoção de rodas de conversa, apresentações culturais e sistematização e registros de relatos orais que considerem o conhecimento popular em relação ao meio ambiente e aos recursos naturais do município, assim como identificar demandas de ações por meio do diagnóstico ambiental participativo.

Objetivo Geral
Promover a interação entre comunidades tradicionais da cidade de Poços de Caldas e à comunidade universitária visando compreender as principais demandas de projetos ambientais que promovam à melhoria da qualidade de vida e a conservação de recursos naturais do município e da região

Objetivos Específicos
Elaborar o cadastro de comunidades tradicionais locais; Elencar os recursos naturais utilizados no cotidiano das comunidades cadastrada; Elaborar um diagnóstico ambiental participativo; Sistematizar as informações obtidas para que direcionem ações de ensino, pesquisa e extensão considerando comunidades vulneráveis; Contribuir com a formação crítica dos estudantes envolvidos; Aproximar as tecnologias geradas e pelo saber científico do graduação em ciência e tecnologia dos saber tradicionais, visando a construção coletiva do conhecimento

Justificativa
Deve-se buscar, na descodificação, “nova percepção e novo conhecimento” (FREIRE, 1987, p.63) em torno da realidade socioambiental, de forma que a problematização em face das situações-problemas considere o contexto vivido e a sua relevância para a transformação e a mudança da realidade local e permitindo a ruptura com propostas pedagógicas tradicionais que fragmentam os conteúdos em estruturas disciplinares. Há diferentes formas de incluir a temática ambiental nos currículos escolares, como atividades artísticas, experiências práticas, atividades fora da sala de aula, produção de materiais locais, projetos ou qualquer outra atividade que conduza os alunos a serem reconhecidos como agentes ativos no processo que norteia a política ambientalista. O processo educativo permanente no qual os indivíduos e a comunidade tomam consciência do seu meio ambiente deve incorporar novos conhecimentos, valores, habilidades, experiências e determinação que os tornam aptos a agir e resolver problemas ambientais, presentes e futuros. Alinhado este contexto e à indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, descrito pela Constituição Federativa da República do Brasil no seu art. 207 (Brasil, 1988) e às diretrizes do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (FORROEX, 2014), este projeto pretende articular a pesquisa participativa em relação às demandas e problemas ambientais locais, à formação acadêmica de Bacharel em Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Alfenas, campus de Poços de Caldas e à construção coletiva de soluções por meio da sociedade como agente ativo de transformação. Vale ressaltar que esta demanda de projeto foi identificada por meio de outras ações de extensão e participação de atividades culturais comunitárias. As comunidades não estão identificadas nesta proposta intencionalmente visando preservar a identidade e não criar expectativas em relação à realização da ação que dependam de aprovação institucional prévia.

Beneficiário
Comunidade Acadêmica do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de Alfenas, campus Poços de Caldas, Comunidades Tradicionais Local como Comunidade dos Agricultores Orgânicos, Comunidade Tradicional de Folia de Reis e Comunidade da Congada de Poços de Caldas e comunidade local.