REFLEXOLOGIA PODAL

Apresentação
Este assunto sobre a reflexoloiga podal foi realizado no ano de 2018, na forma de oficina, devido à procura por alunos e profissionais da rede, este será oferecido em 2019 na forma de curso, para um aprimoramento mais adequado e profundo sobre o tema, com parte teórica e prática. Este curso tem como objetivos capacitar os discentes, com também aos profissionais da rede de saúde ao conhecimento desta técnica para melhor atendimento aos seus pacientes. O curso será realizado em dois módulos de 4 horas totalizando 8 horas. O primeiro módulo será abordado uma introdução teórica sobre o conhecimento básicos sobre o métodos como: conceitos, mecanismo de ação, mapa reflexo, indicações e contra-indicações, e no segundo módulo vivência com a prática em pontos do mapa reflexo do pé. Espera-se que o curso permita capacitação dos profissionais da rede e dos alunos dos cursos de graduação da Unifal e interação ensino-pesquisa-extensão e entre os diversos saberes.

Introdução
A procura por terapias alternativas tem crescido cada vez mais. Há várias décadas o mundo ocidental tem buscado na medicina tradicional chinesa, através da utilização de acupuntura, auriculoterapia, reflexologia, massagem terapêutica e entre outras formas alternativas de tratamento, a cura para suas doenças (ARAÚJO, ZAMPAR e PINTO, 2006). Os benefícios da massagem reflexa vão além do relaxamento e evocam estimulação mecânica, neural, fisiológico e químico (ABREU, SOUZA e FAGUNDES, 2012). A massagem é uma experiência sensível, que consiste na arte do toque e na forma como essa habilidade explora o corpo humano, gerando sensações agradáveis ou não, e isso se dá de modo integrativo pelos sistemas orgânicos (MUNFORD, 2010; BRAUNSTEIN, BRAZ e PIVETTA, 2011; FOGAÇA, 2006). Essa relação entre pele, tato, e sistema fisiológico pode ser explicada pela origem dos tecidos. Ambos os sistemas, epitelial e nervoso, formam-se de diferenciações celulares do ectoderma (FOGAÇA, 2006). Sendo assim, a reflexologia podal (RP) é uma técnica popular e não invasiva da Medicina tradicional chinesa. Na china é conhecida de forma documentada desde o século II a.c.. Baseia-se no princípio de que todos os órgãos, glândulas e estruturas ósseas do corpo, estão representados em pontos específicos dos pés (TIRAN E CHUMMUN, 2005; LOURENÇO, 2012). A aplicação de pressão adequada nestes pontos específicos na superfície tissular dos pés, atingirá reflexamente os órgãos correspondentes, provocando respostas funcionais no organismo, levando a homeostase do organismo humano (TIRAN E CHUMMUN, 2005; EMBONG et. al., 2015). Atualmente a RP é bem conhecida por seus efeitos fisiológicos e neurofisiológicos tais como a ativação da circulação sanguínea e linfática, diminuição da dor e estresse; redução da fadiga, melhora do equilíbrio e funcionalidade e restabelecimento da qualidade de vida (SAATSAZ, 2016; ÖZDELIKARA E TAN, 2017), como também poderá ser usada como forma de diagnosticar o sistema que tem uma localização anatômica precisa (TIRAN E CHUMMUN, 2005; METIN, ASSISTANT E OZDEMIR, 2016).

Objetivo Geral
Este curso tem como objetivo capacitar os discentes com também aos profissionais da rede de saúde ao conhecimento desta técnica e aprimorar seus conhecimentos para melhor atendimento aos seus pacientes.

Objetivos Específicos
Contribuir para o conhecimento teórico e prático na conduta terapêutica, como também melhor qualificação do aluno e profissionais da área da saúde.

Justificativa
O toque terapêutico induzido pela reflexologia podal vem sendo utilizada desde os primórdios da humanidade, ainda carece de muitos estudos para observar claramente os mecanismos de ação. Estudos clínicos atuais induzem melhora da dor, redução da fadiga, relaxamento global, melhora da circulação sanguínea. Por se tratar de uma técnica da medicina tradicional chinesa como prática integrativas e complementares vem de encontro ao atendimento às recomendações da OMS. o Ministério da Saúde brasileiro publicou no Diário Oficial da União, em maio de 2006, a Portaria 971, que criou a Política Nacional (PN) de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) no Sistema Único de Saúde (SUS). A Política estabeleceu a implantação e implementação de ações e serviços no SUS, com o objetivo de garantir a prevenção de agravos, a promoção e a recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, além de propor o cuidado continuado, humanizado e integral em saúde, contribuindo com o aumento da resolubilidade do sistema, com qualidade, eficácia, eficiência, segurança, sustentabilidade, controle e participação social no uso, o que evidencia a necessidade e importância da capacitação dos alunos (por não ser um conteúdo do projeto pedagógico dos cursos da Unifal/MG) como também para profissionais da área da saúde (estimular a integração dos saberes e estreitamento dos vínculos entre a Universidade, os profissionais no serviço de Atenção Primária em Saúde).

Beneficiário
Serão beneficiados os alunos do curso da Unifal-MG, os profissionais da área da saúde da atenção básica do município da Alfenas/MG e região.