USO DO REIKI E DA AROMATERAPIA, COMO MÉTODOS COMPLEMENTARES DE PROMOÇÃO DE SAÚDE E BEM ESTAR, EM PACIENTES ONCOLÓGICOS COM DEPRESSÃO E OU ANSIEDADE.

Apresentação
O projeto propõe discutir e aplicar métodos adotados pelo Sistema Único de Saúde como práticas integrativas e complementares (PICs), na promoção de saúde e bem-estar, pela oferta de reiki e aromaterapia. Há muito, diversas das 29 práticas reconhecidas pelo SUS vêm sendo utilizadas pela população, como tradição cultural. Acredita-se que o reconhecimento pelo SUS, de métodos terapêuticos auxiliares aos convencionais da medicina, abrirá portas para diálogo entre os anseios da comunidade, e os do meio acadêmico, dedicado à confirmação da sua eficácia. Sessões de reiki e de aromaterapia serão oferecidas a pacientes oncológicos em condição de ansiedade e ou depressão, atendidos por associação que atua no suporte aos mesmos, em Alfenas. Palestras abertas à comunidade serão realizadas para a apresentação do tema. Oficinas de aromaterapia serão oferecidas, para conhecimento e experimentação dos efeitos à saúde e bem-estar promovidos pelos óleos essenciais.

Introdução
O termo câncer abrange um conjunto de doenças cuja característica comum é o rápido crescimento celular, com desvio da funcionalidade, e tendência a invadir outras regiões do corpo. Mesmo quando o portador da enfermidade carece de instrução, é de senso comum considerar a doença como grave o suficiente para antecipar a morte. Diante dessa possibilidade, não raro o paciente desenvolve estresse e intensa angústia, importantes gatilhos para a instalação de distúrbios psiquiátricos como a ansiedade e a depressão. Seja pelo diagnóstico e a incerteza de sucesso no tratamento, ou pelas consequências do tratamento a ser adotado, estudos apontam para a concomitância de câncer, ansiedade e depressão. Para além do tratamento tumoral, toda ação que possa promover melhoria da qualidade de vida deve ser considerada. Ao lado da terapêutica convencional, práticas integrativas e complementares têm auxiliado muitos pacientes no enfrentamento mais sereno da doença. Já reconhecidas e indicadas pelo SUS, 29 terapias podem ser apresentadas ao paciente, para que, em sua livre escolha e possibilidade de acesso, decida qual lhe parece mais confortável e confiável. Dentre as possíveis terapias complementares, cita-se o reiki, método energético de imposição de mãos, e a aromaterapia, que se vale do princípio químico de óleos essenciais. Quando bem indicadas e exercidas, as práticas não oferecem riscos ao paciente, ao contrário, tendem a promover relaxamento, aumento do padrão imunitário e bem estar geral. Embora diferentes terapeutas podem oferecer o serviço, espera-se que o profissional de saúde tenha um repertório eficaz de informação, sendo bastante útil ao paciente. Alunos de graduação da área de saúde são excelentes candidatos à formação nas terapias complementares, possivelmente pela compreensão larga e crítica das limitações de indicação, dos riscos e segurança daquele que recebe a prática. Do ponto de vista da sua formação, ele poderá aprofundar os estudos, vindo a pesquisar os prováveis mecanismos de ação, ou contribuir para a melhor compreensão futura, ao mesmo tempo que já se insere na experiencia profissional, pelo contato com pacientes oncológicos em tratamento. Espera-se que esta ação de extensão promova argumentos para a proposição de projetos científicos vinculado ao tema, e que permita a inserção dos discentes na prática de PICs, e da produtiva interação entre o saber popular e a formação acadêmica.

Objetivo Geral
Desenvolver ações de promoção de saúde, através do uso das práticas integrativas e complementares, reiki e aromaterapia, nas condições de depressão e ou ansiedade de pacientes oncológicos atendidos pela Associação Viva Vida.

Objetivos Específicos
- Avaliar o perfil de ansiedade e ou depressão de pacientes oncológicos assistidos pelo Viva Vida; - Desenvolver palestras sobre as PICs, em especial, sobre o reiki e a aromaterapia; - Propor oficina de aromaterapia, onde serão abordados os aspectos gerais, indicações e restrições de uso de óleos essenciais, e uma vivência curta, com o uso de dois óleos essenciais.

Justificativa
O Instituto do Câncer estima a ocorrência de cerca de 600 mil novos casos de câncer, para cada ano do biênio 2018-2019, em todo o território nacional. Inevitavelmente, alguma parcela da população de Alfenas e entorno virá a ser acometida pela doença, resultando em internações, intervenções cirúrgicas e tratamentos de longo prazo. Não raro, dada a gravidade da doença, o paciente tenderá a desenvolver algum grau de depressão e ansiedade. O reconhecimento e incentivo das práticas integrativas e complementares pelo SUS tende a auxiliar a recuperação desse paciente. As praticas podem ser indicadas por profissionais de saúde qualificados e conhecedores das indicações, limitações e restrições. O aluno de graduação que tenha afinidade por tais práticas, poderá vivenciá-las, em paralelo ao atendimento da medicina convencional, e sem prejuízo da mesma. O presente projeto permitirá ao aluno de graduação esse contato prévio, numa dinâmica de ensino e aprendizagem. Ambos, pacientes oncológicos com sofrimento mental e aluno de graduação da área de saúde, tendem a ser beneficiados com esse convívio.

Beneficiário
Pacientes oncológicos assistidos pela Associação Viva Vida, com o atendimento terapêutico de reiki e aromaterapia; discentes da UNIFAL e demais interessados da população em geral, nas palestras informativas envolvendo o reiki e a aromaterapia, e nas oficinas envolvendo a aromaterapia.