DECOMPONDO: COMPOSTAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Apresentação
O presente projeto, que se iniciou em 2015, dará seguimento às suas atividades, focando este ano no processo de compostagem para geração de adubo orgânico, proveniente dos rejeitos sólidos orgânicos do restaurante universitário e do restaurante Á Baiuca, numa parceria inédita com a Fundação Jardim botânico de Poços de Caldas (FJBPC). A implementação de espaços voltados a tais práticas, especialmente dentro de um ambiente de formação e de trabalho, permitem que novos valores sejam cultivados, promovendo a mudança de atitudes, a geração de novos conhecimentos, e, em última análise, incremento da qualidade de vida. O campus de Poços de Caldas, além de estar cercado por uma exuberante natureza, possui uma ampla área desocupada, com enorme potencial de práticas sustentáveis que podem ressaltar o contato com a natureza e com atividades sustentáveis. O projeto visa atender a comunidade universitária e externa, especialmente na parceria com a FJBPC.

Introdução
O projeto dará seguimento à implementação uma horta orgânica, e continuidade ao processo de compostagem de resíduos orgânicos gerados pelo restaurante universitário e do restaurante Á Baiuca. Este ano teremos a Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas (FJBPC) como instituição parceira, através de um recente acordo de cooperação técnica firmado entre ambas instituições. Entendemos que uma educação de qualidade esteja comprometida com a formação de pessoas mais críticas e responsáveis do ponto de vista social e ambiental. Entendemos ainda como urgentes as questões acerca da gestão de resíduos sólidos e da segurança alimentar em nossa sociedade. A implementação destes espaços de sustentabilidade promoverá um aumento da qualidade de vida e do trabalho, bem como servirão de espaço de reflexões sobre as temáticas suscitadas. Há repercussões destas atividades tanto do ponto de vista acadêmico quanto social. Na primeira dimensão, promove espaços de criação no ambiente acadêmico, e pode ser utilizado como recursos de ensino-aprendizagem. Para Capra (2003), a horta, por exemplo, é um excelente recurso para entender, na prática, o pensamento sistêmico/ecológico, bem como a ação dos princípios básicos da ecologia. Do ponto de vista social, tais espaços exigem posturas proativas das pessoas, seja na separação do lixo, seja no convite para o trabalho cooperativo em tais espaços através de mutirões; e estimula ainda o desenvolvimento de sensibilidade sócio-ambiental, promovendo o exercício de uma cidadania ampla. Em 2016, após negociação, a direção do campus de Poços de Caldas cedeu um espaço de aproximadamente 3 mil m2 para a execução do projeto, hoje denominado “Espaço Seriema” (referência à uma ave local bastante presente no campus). Desde o início do projeto realizamos diversos mutirões, contando com a participação ativa de membros da comunidade universitária, bem como local. O pátio de compostagem encontra-se praticamente executado, e já conta com cinco leiras estáticas de compostagem, que recebe semanalmente uma tonelada de resíduos orgânicos. Temos ainda no espaço um sistema de captação de água de chuva proveniente do auditório, e estamos em vias de ampliar o volume do reservatório para manter o estoque no período de estiagem. Os canteiros da horta estão definidos, apenas aguardando a recuperação do solo (o solo cedido encontrava-se “morto” pela lixiviação e exposição direta). Demos início a montagem da “tenda do sol”, um espaço didático de convivência que apresentará diferentes tipos de técnicas de paredes sustentáveis. Os resultados esperados pelo projeto são vários, com destaque para a uma diminuição significativa do volume de descarte no lixo comum pelo RU - em 2017 captamos aproximadamente 7 toneladas de resíduos. A compostagem ainda produzirá composto orgânico para uso na jardinagem do campus, na horta, no Jardim Botânico e para doação a escolas com hortas implementadas em seus espaços.

Objetivo Geral
Manter um sistema de pequena escala de tratamento de resíduos sólidos orgânicos através do método de leira estática com aeração passiva

Objetivos Específicos
- Destinação correta de resíduos sólidos orgânicos; - Geração de composto orgânico para horticultura, viveiro de mudas e jardinagem; - Suporte para atividades de educação ambiental, em visitas guiadas;

Justificativa
A gestão de resíduos sólidos é um problema grave e crescente em qualquer cidade, por uma série de motivos: coleta onerosa, local de descarte, exigências e multas dos órgãos ambientais, resistência das pequenas vizinhas às grandes cidades em ceder terrenos para novos aterros sanitários, catação por pessoas carentes, proliferação de ratos, insetos, doenças, etc. Ainda que haja iniciativas majoritariamente voltadas para a gestão de resíduos sólidos secos, a gestão de sólidos orgânicos (RSO) ainda encontra resistência para efetiva implementação. Esta fração dos resíduos ainda é frequentemente destinada de forma inadequada em uma quantidade significativa e preocupante, sem que haja um destino apropriado, acarretando em risco ambiental e social. Uma das destinações possíveis aos RSOs é a compostagem, que conta com uma diversidade de métodos. O produto principal da compostagem é um composto orgânico sólido e/ou líquido, utilizado geralmente em atividades de jardinagem e/ou horticultura. Neste sentido, o projeto justifica-se ao considerarmos a alta demanda de produção de RSO em estabelecimentos comerciais e residenciais, a falta de uma gestão adequada por parte do poder público municipal, e a alta demanda por composto orgânico no campus da UNIFAL-MG (Poços de Caldas) para fins de jardinagem, bem como da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas (FJBPC) – instituição parceira neste ano.

Beneficiário
Todos os estudantes de graduação e pós-graduação, servidores e funcionários terceirizados do campus. Ainda, serão também beneficiados os funcionários e usuários da Fundação Jardim Botânico de Poços de Caldas, que conta com visitas de escolas - dando maior visibilidade ao projeto.