LISONO LIGA DE MEDICINA DO SONO

Apresentação
A Liga Acadêmica de Medicina do Sono pretende realizar ações, que visem a aquisição de conhecimentos teóricos e práticos, desta área do conhecimento e da especialidade de medicina do sono, pelo estudante de medicina, e de prevenção e educação em saúde para a população da comunidade. O médico (a) generalista precisa ter bases teóricas e práticas de medicina do sono básica para tratar, orientar e encaminhar a população sob sua responsabilidade, tendo em vista que os distúrbios do sono são altamente prevalentes no Brasil e mundialmente. A Liga Acadêmica do Sono tem como objetivo fornecer e aprimorar as bases teóricas de tal especialidade para os participantes, por meio de discussões de artigos científicos e casos clínicos, e trabalhar com a comunidade da Universidade Federal de Alfenas e seus arredores. A Liga terá oportunidade de trabalhar medidas de educação em saúde sobre higiene do sono e prevenção de distúrbios, que vão desde insônia, muito frequente nos estudantes de graduação, até

Introdução
O sono é um processo biológico constituído de fases em sua duração e funções. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o sono é uma necessidade humana básica: o ser humano dorme em cerca de 1/3 de seu tempo de vida, ou uma média de 27 anos, segundo Ohayon (2011); e ele é essencial para a saúde, influenciado por estilos de vida, fatores biológicos e ambientais, cujo desequilíbrio pode levar à privação e distúrbios do sono, que ocasionam prejuízos físicos, cognitivos e à saúde mental. Na área médica, os distúrbios de sono são foco de estudo da medicina do sono, e sejam agudos ou crônicos eles são associados a uma variedade de problemas, por exemplo comportamentais ou sociais, como menor rendimento no trabalho, resultando também em impactos econômicos e, no caso da comunidade acadêmica, impactos na rotina dos estudantes, com riscos associados ainda ao alcoolismo, tabagismo e drogadição; e problemas orgânicos como acidentes, ansiedade, depressão e alterações cardiovasculares e respiratórias; portanto, eles não constituem uma categoria de estudo isolada, pois podem ser desencadeadores ou refletirem problemas subjacentes que sejam fatores predisponentes ou precipitantes, exigindo-se uma abordagem multi e interdisciplinar, de acordo com a abrangência generalista e integral da saúde. Pelo menos 30% da população sofre de algum distúrbio do sono, de maneira que a divulgação de conhecimentos para a promoção da higiene do sono é necessária à população em geral, e em particular para os profissionais da saúde e os estudantes que tornar-se-ão futuros agentes promotores. (ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, 2004). Dentre os mais comuns distúrbios do sono apontados em estudos epidemiológicos brasileiros, constam-se, por exemplo, no “São Paulo, Brazil, Epidemiologic Sleep Study” feito em 2010, em coorte de 1042 indivíduos, prevalência de 32% de insônia objetiva na cidade de São Paulo-SP (CASTRO et al., 2013) e de 32,9% para apneia obstrutiva do sono (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OTORRINOLARINGOLOGIA E CIRURGIA CÉRVICO-FACIAL et al., 2014; TUFIK et al., 2010); em um estudo feito em 2004 com 1105 indivíduos em São José do Rio Preto-SP indicou-se prevalência de 32% de insônia (MARCHI et al., 2004); um estudo feito em 2015 com 743 indivíduos adultos indicou prevalência de 46,7% de distúrbios do sono em geral na cidade de Presidente Prudente-SP (ZANUTO et al., 2015). Na comunidade acadêmica e em específico para estudantes de medicina, a prevalência pode ser comparativamente maior do que em relação à população geral e aos estudantes de outros cursos (AZAD et al., 2015), e estudos brasileiros apontam que cerca de metade desses estudantes declara ter baixa qualidade de sono ou sonolência excessiva diurna (PACHECO et al., 2017). Mesmo com uma relevante parcela da população global tendo distúrbios do sono, ainda vem sendo insuficiente seu diagnóstico e tratamento, os quais são feitos, por exemplo, em apenas menos de 20% dos indivíduos com insônia (OHAYON, 2011). O estudo do sono é ho

Objetivo Geral
Promoção de ações que visem à aquisição de conhecimentos teóricos e práticos da atenção aos distúrbios do sono pelo estudante de medicina e médico generalista. Promoção de ações de prevenção e educação em saúde e divulgação científica na comunidade da Universidade Federal de Alfenas e arredores.

Objetivos Específicos
Capacitar o estudante de medicina na identificação, prevenção e orientação educacional dos distúrbios do sono, com grande enfoque naqueles com maior relevância epidemiológica, seja no espaço ou tempo. Capacitar o estudante de medicina no conhecimento da utilização consciente das técnicas diagnósticas e terapêuticas da medicina do sono. Capacitar o estudante de medicina em ações de educação em saúde e divulgação científica de forma eficaz.

Justificativa
O estudo da medicina do sono envolve uma compreensão de todos os fatores biopsicossociais, atende todas as faixas etárias e abrange casos clínicos de diversas naturezas. Ele é necessário para se garantir a atenção integral à saúde, os distúrbios do sono possuem alta prevalência na população em geral e se associam a várias outras comorbidades, tanto como causa quanto como consequência. Seu conhecimento é necessário ao diagnóstico correto, consequentemente sendo promovidas a prevenção e educação à população, e a condução terapêutica que for necessária, formando assim bases necessárias para o médico generalista desenvolver na atenção básica. Para isso é preciso que haja uma base firmada sobre conhecimentos científicos, técnicos e práticos de diversas áreas, como a fisiologia, semiologia, clínica médica, neurologia, otorrinolaringologia, epidemiologia etc.

Beneficiário
Acadêmicos do curso de medicina. Comunidade acadêmica da Universidade Federal de Alfenas. Demais pessoas da comunidade em Alfenas.